Sábado, 23 de Maio de 2009
Marinho VS Manuela



uma psicose de jfd às 00:49
link directo | psicomentar | psicomentaram (11)

Sábado, 28 de Março de 2009
El Padrino!

(...)«Este tipo, Sócrates, no final de Fevereiro, Março de 2002, estava no Governo. Era ministro do Ambiente. Ele é o tipo que aprovou este projecto. Ele aprovou na última semana do mandato, dos quatro anos. Em primeiro lugar, foi suspeito que ele o tenha aprovado no último dia do cargo... E não foi por dinheiro na altura, entende? Isto foi mesmo ser estúpido», alega Smith

(...)

O escocês afirma o que o dinheiro foi pago já depois da aprovação, para garantir a continuidade do projecto.

«Sócrates tem ligações em todo o lado, por isso é que as pessoas tinham receio de não pagar», explicou a Parkins.(...)

 

 

http://sol.sapo.pt/PaginaInicial/Politica/Interior.aspx?content_id=130391



uma psicose de jfd às 12:14
link directo | psicomentar | psicomentaram (22)

Domingo, 25 de Maio de 2008
Vergonhoso! take 2
Do Blasfémias, pela mão de jcd, surge a seguinte edição do Debate na TVI...
O Debate em 5 minutos, chama-lhe ele.

Excelente para ilustrar o post Vergonhoso!

Realmente, cada um de nós, sem excepção, vê aquilo que quer e convém, a partir do mesmo acontecimento.

uma psicose de jfd às 15:04
link directo | psicomentar | psicomentaram (17)

Notícias
Psico-Social

Psico-Destaques
Psicóticos
Arquivo

Leituras
tags
Subscrever feeds
Disclaimer
1- As declarações aqui pres-tadas são da exclusiva respon-sabilidade do respectivo autor.
2 - O Psicolaranja não se responsabiliza pelas declarações de terceiros produzidas neste espaço de debate.
3 - Quaisquer declarações produzidas que constituam ou possam constituir crime de qualquer natureza ou que, por qualquer motivo, possam ser consideradas ofensivas ao bom nome ou integridade de alguém pertencente ou não a este Blog são da exclusiva responsabilida-de de quem as produz, reser-vando-se o Conselho Editorial do Psicolaranja o direito de eliminar o comentário no caso de tais declarações se traduzirem por si só ou por indiciação, na prática de um ilícito criminal ou de outra natureza.