Terça-feira, 17 de Janeiro de 2012
Dumping

De acordo com a Wikipedia, Dumping é:

"uma prática comercial que consiste em uma ou mais empresas de um país venderem seus produtos, mercadorias ou serviços por preços extraordinariamente abaixo de seu valor justo para outro país (preço que geralmente se considera menor do que se cobra pelo produto dentro do país exportador), por um tempo, visando prejudicar e eliminar os fabricantes de produtos similares concorrentes no local, passando então a dominar o mercado e impondo preços altos. É um termo usado em comércio internacional e é reprimido pelos governos nacionais, quando comprovado. Esta técnica é utilizada como forma de ganhar quotas de mercado."

Por exemplo, no caso da produção de móveis, isto significaria que uma empresa com algum capital financeiro resolveria em vez de tentar melhorar o produto ou o processo produtivo, vender móveis abaixo do preço de custo para levar os concorrentes à falência e, depois de se tornar a única produtora da zona, obter lucros de monopólio.

 

Quem Ganha:
- Consumidores: Com a baixa de Preços, vêm aumentar o seu Poder de Compra
- Fornecedores: Com o aumento do Poder de Compra dos consumidores, aqueles compram mais e portanto os fornecedores vendem mais do seu produto, ao mesmo preço

Quem Perde:
- Concorrentes: Os consumidores deslocam as suas compras de quem não faz dumping para quem o faz. Em determinados casos, estes concorrentes podem falir e os que tinham ficado a ganhar no Curto Prazo, perdem no Médio e Longo Prazos
- Executor da Prática: Enfrenta prejuízos para ganhar posição de mercado. Se conseguir falir os concorrentes, obtém poderes de Monopolista e passa a ser o único que ganha

 

Note-se que a prática de dumping deve ser dissociada de estratégias promocionais, sob pena de não se poderem fazer descontos ou ofertas! Isto poderá conseguido, por exemplo, comparando médias de preço de venda e o custo num período suficientemente longo para ver se constitui dumping (em vez de analisar preço vs custo a cada momento). Só aí a ASAE poderá actuar.

 

Por fim, fica uma das anedotas preferidas de Ayn Rand:

3 empresários encontram-se numa prisão e, como todos os presidiários, começa a falar sobre o motivo pelo qual estão ali:
1º: - Eu estou aqui porque pratiquei Preços Muito Altos, e me acusaram de abuso de Poder de Monopólio.
2º: - Eu estou aqui porque pratiquei Preços Muito Baixos, e me acusaram de Dumping.
3º: - Eu estou aqui porque pratiquei Preços Iguais a Todo o Mundo, e me acusaram de Cartelização.

 

Pois...

Impõe-se algumas palavras sobre um caso que tem sido muito badalado nestes dias: o mercado da distribuição do Leite. Neste processo a Lactogal queixou-se ao Estado de que o Continente estava a cobrar preços abaixo dos 30 cêntimos que o Continente a que o Continente tinha o leite à Lactogal.

 

Ao contrário do que seria de supor, quem fez a queixa não foram os concorrentes do Continente (por exemplo, associações de pequenos comerciantes) mas os fornecedores, os tais que venderão mais do que numa situação normal e receberão o mesmo preço.
Mais estranho ainda, o medo da Lactogal não é a falência do restante canal de distribuição (que a afectaria mais tarde...), pois os restantes distribuidores vendem muitos outros bens e, depois de uns dias a vender menos leite, voltarão a vender a quantidade normal quando a promoção terminar.

 

De acordo com quem "anda no terreno", o motivo pelo qual a Lactogal intentou esta queixa foi porque, no "competitivo mercado da distribuição", se o Continente vender abaixo um "produto bandeira" como o leite, os outros grandes distribuidores vão ter de "responder" e portanto vão "exigir" que a Lactogal faça um "desconto significativo", levando a "perdas insuportáveis" por parte da Lactogal.
Recordo que mesmo que outros distribuidores tivessem tentado obrigar a Lactogal a fazer preços mais baixos, esta última pode não o fazer devido à sua situação de "monopólio com franja competitiva" (marcas Lactogal) que possui. E se o fizesse, a perda de Curto Prazo será compensada por ganhos de Médio e Longo Prazo em termos de maiores vendas, a preços "normais".
No Longo Prazo, é natural que os clientes prefiram produtos de qualidade semelhante e preços muito inferiores mas isso meus caros, já sabem de quem é a culpa, não é?

 

Se a ASAE aceitar esta situação, terá de o fazer sempre que um fornecedor se queixe de situações idênticas, pois a lei é igual para todos. O que é abrir uma Caixa de Pandora...

Veja-se como realmente a estratégia é fazer cross-selling: o cliente paga 78 cêntimos, obtém descontos para o mês de Janeiro e Fevereiro (obriga a fazer mais 2 compras) e é limitado a 16 litros, pelo que o cliente é convidado a comprar mais para ter o cabaz entregue em casa.


uma psicose de Ricardo Campelo de Magalhães às 15:00
link directo | psicomentar | psicomentaram (7)

Sexta-feira, 13 de Janeiro de 2012
ASAE desrespeita os direitos mais básicos dos Consumidores

Público:

A Autoridade de Segurança Alimentar e Económica [ASAE] já apreendeu 240 mil litros de leite, desde que pôs em em marcha, na quinta-feira, uma operação de fiscalização nas grandes superfícies comerciais, para averiguar denúncias dos produtores sobre a prática de dumping (venda abaixo do preço de custo pago aos produtores).

Comentários:

  1. Modus Operandi. Para se averiguar a referida denúncia não era necessário a "apreensão" (é mais destruição, dado o prazo de validade...) do leite. A qualidade do produto não está em causa. Os hipermercados envolvidos só por este motivo, já têm razões para processar o Estado.
  2. Realidade do Desconto. Antes demais, o desconto praticado pelo Continente não é sobre o leite apreendido. O cliente paga a totalidade do Preço e se pretender o desconto terá de voltar em datas posteriores.
  3. Hábito da prática. Estas são práticas promocionais comuns no mercado. Tratando-se de “marcas brancas” outro objectivo será levar o consumidor à experimentação do leite comercializado com a marca do distribuidor (“cross-selling”). Por vezes, produtores também oferecem produtos com semelhante objectivo e não lhe chamam “dumping”.
  4. Orçamento de Promoção da Lactogal. A Lactogal tem gasto bastante em publicidade para convencer consumidores à compra do seu leite. Agora, como as promoções das “marcas brancas” aparentemente estão a ter melhores resultados (não deve ser leite da Lactogal…), fizeram queixa na ASAE. Maus perdedores! Se pudessem voltar atrás, provavelmente teriam usado grande parte desse orçamento para oferecer leite. É que, por exemplo, a oferta de 240 mil litros custaria-lhes apenas 72 mil euros. Quanto é que gastaram em publicidade??!
Mas na minha opinião isto são fait-divers. O que me choca mesmo é:
  1. Quem estava a perder. A haver alguém a queixar-se, deveriam ser os donos de pequenas superfícies que vendem leite. Não conseguem vender porque os supermercados vendem abaixo do custo a que compram nos produtores. São os maiores prejudicados e não me consta que sequer se tenham pronunciado.
  2. Quem perdeu mais. Obviamente os consumidores. Os mesmos que pagam dos impostos mais asfixiantes da Europa e obtêm do Estado benefícios dos mais baixos da Europa, vêm-se agora obrigados a pagar mais caro por um bem essencial!!! 
  3. Masoquistas. Se o Continente pagava 30 cêntimos e, para atrair consumidores, escolhia esse produto para vender mais barato, então vendia mais leite do que venderia em circunstâncias normais, pois os consumidores substituiam outros bens (menos saudáveis, já agora) por leite. Consequência: os consumidores vão consumir menos leite (preço aumentou...), o Continente vai comprar menos leite e, dado o seu poder negocial, vai continuar a pagar 30 cêntimos aos produtores. Produtores vão continuar a receber 30 cêntimos por MENOS litros de leite.
    Na melhor das hipóteses, pois o Continente pode REDUZIR o preço pago aos produtores para passar a cumprir o que lhe é imposto pela ASAE.
  4. ASAE.  A ASAE obtem assim o efeito de diminuir o consumo de leite, substituir o consumo deste por bens menos saudáveis, diminuir o preço pago aos produtores e aumentar o preço cobrado aos produtores, e obrigar o Continente a atrair clientes de outra forma, provavelmente com mais anúncios da Popota ou com aquele actor a quem saiu a sorte grande.
    Menos saúde, menos consumo, menos produção, mais recursos para pessoas de classe alta, menos liberdade económica. Parabéns Estado.
Enquanto isto, os produtores de leite, que foi quem desencadeou esta loucura, rejubila.
E o mais grave é que a população passa ao lado disto como se isto fosse normal, como se isto fosse Cuba. Ao que chegamos...
Este artigo é baseado num original n'O Insurgente: "Vacas Loucas na ASAE".


uma psicose de Ricardo Campelo de Magalhães às 23:59
link directo | psicomentar | psicomentaram (5)

Notícias
Psico-Social

Psico-Destaques
Psicóticos
Arquivo

Leituras
tags
Subscrever feeds
Disclaimer
1- As declarações aqui pres-tadas são da exclusiva respon-sabilidade do respectivo autor.
2 - O Psicolaranja não se responsabiliza pelas declarações de terceiros produzidas neste espaço de debate.
3 - Quaisquer declarações produzidas que constituam ou possam constituir crime de qualquer natureza ou que, por qualquer motivo, possam ser consideradas ofensivas ao bom nome ou integridade de alguém pertencente ou não a este Blog são da exclusiva responsabilida-de de quem as produz, reser-vando-se o Conselho Editorial do Psicolaranja o direito de eliminar o comentário no caso de tais declarações se traduzirem por si só ou por indiciação, na prática de um ilícito criminal ou de outra natureza.