Sábado, 12 de Janeiro de 2013
Os abutres do poder (uma série de questões)

Ao que parece o absolutamente importante, quase histórico, ex dirigente do Partido Socialista, Paulo Pedroso renasceu das cinzas e vem pedir eleições Autárquicas e Legislativas em simultâneo.

 

Será que Portugal já esqueceu que o país foi (des)governado pelo Partido Socialista durante 6 anos?

Portugal já esqueceu José Sócrates?

 

 

As ex-SCUTS?

O aeroporto onde não aterra ninguém?

O TGV?

A  festa da Parque Escolar?

O "Jamais" da margem Sul?

O pedido de ajuda externa?

 

Será tudo isto uma tentativa de aproveitamento do Partido Socialista em relação aos resultados das eleições autárquicas?

Será que o Partido Socialista acredita que, pela confusa Reforma Administrativa Territorial Autárquica o PSD vai ter um mau resultado que possa potenciar um mau resultado também nas legislativas (simultâneas) ou será o contrário, por acharem que o povo vai rejeitar o PSD no campo legislativo, também o fará nas questões autárquicas?

 

Contudo, se as legislativas forem simultâneas, relembro a sondagem da Pitagórica para o Jornal "I" que diz que Rui Rio seria melhor líder para o PSD.

 

Não fui inquirido nesta sondagem, mas acho o mesmo.

 

 



uma psicose de Pedro Miguel Carvalho às 11:56
link directo | psicomentar | psicomentaram (3)

Notícias
Psico-Social

Psico-Destaques
Psicóticos
Arquivo

Leituras
tags
Subscrever feeds
Disclaimer
1- As declarações aqui pres-tadas são da exclusiva respon-sabilidade do respectivo autor.
2 - O Psicolaranja não se responsabiliza pelas declarações de terceiros produzidas neste espaço de debate.
3 - Quaisquer declarações produzidas que constituam ou possam constituir crime de qualquer natureza ou que, por qualquer motivo, possam ser consideradas ofensivas ao bom nome ou integridade de alguém pertencente ou não a este Blog são da exclusiva responsabilida-de de quem as produz, reser-vando-se o Conselho Editorial do Psicolaranja o direito de eliminar o comentário no caso de tais declarações se traduzirem por si só ou por indiciação, na prática de um ilícito criminal ou de outra natureza.