Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

PSICOLARANJA

O lado paranóico da política

PSICOLARANJA

O lado paranóico da política

O que faz de nós portugueses?

Essi Silva, 03.05.10

 

Do seguimento de um post partilhado pelo Jfd em que se rogava aos jogadores portuguesses que aprendessem algo, surgiu um fait divers concorrido no Psico.

Chamei à atenção sobre o número de nacionalizados brasileiros (cujo âmbito se pode alargar a outras nacionalidades) na Selecção Portuguesa de Futebol em comparação com a equipa de Rugby. Obviamente o Cepeda, que me adora mandou logo a farpa da minha dupla-nacionalidade, alegando que não tinha provavelmente a maior moral para discutir o assunto.

Aqui ficam os argumentos e piadas da malta:

 

Cepeda - "Se não queres que te fale de dupla nacionalidade podemos falar de várias outras coisas ligadas ao tema:

- Legitimidade de questionar o nacionalismo de pessoas que a lei considera tão portugueses como cada um de nós

- Valor desportivo e desempenho em campo dos jogadores em questão

- Ensino da história e definição do que são os valores "nacionais"

Ou ainda outros... mas não me parece que qualquer discussão séria possa levar a conclusão "malandros do Deco, Pepe e Liedson que andam a desvirtuar o patriotismo Português "

E se ganhasses milhões eras menos Portuguesa? Se podemos discutir a nacionalidade portuguesa do Anderson Luis de Sousa porque não podemos discutir a da Essi Silva ou do Rui Cepeda?

Sobre a história Portuguesa, o que mais me orgulha em ser Português é a nossa história de tolerância e respeito pelos direitos humanos, fomos dos primeiros quer a abolir a pena de morte quer a escravatura!!!!

É inadmissível considerar que há portugueses de primeira e de segunda... Podemos discutir as leis que permitem o acesso á nacionalidade portuguesa, até podemos fazer chegar á Assembleia da Republica propostas de alteração, agora criticar indivíduos por algo que fizeram de forma legitima e legal não me parece grande caminho....


JFD - claro que é legítimo e legal

mas o que os leva a fazer isso será questionável?

 

Guilherme - Pois é!
Não há portugueses de primeira e de segunda.
Há portugueses, que além de legalmente, são-no de cultura, língua, tradições, coração e história, e depois há emigrantes naturalizados que não temos probs em aceitar.
Eu se fosse viver n anos para o Brasil, e me naturaliza-se, não ficava brasileiro! Nacionalidade é mais que uma questão de um papel legal!

Cepeda - Eu moro á um ano e meio apenas com estrangeiros e posso dizer que alguns deles são mais Lisboetas, na cultura, estilo de vida e amor pela cidade que quase todos os naturais de cá (e milhões de vezes mais que o António Costa!!! lol)

Bem Essi, então deves estar a criticar a postura deontológica dos teus futuros colegas, que permitem aos mais abastados contratar melhor advogados, que melhor litigam e protegem os seus interesses...(by the way, não pretendo ser advogada ;)

 

Diogo - Eu também acho que podemos pôr em causa todo e qualquer tipo de nacionalidade. O Liedson é tão português, como o Diogo, o Chico, a Essi a Josefina, ou o Rui.
Não vejo diferença nenhuma.

 

Essi - Resta saber a diferença entre defender Portugal com unhas e dentes por questões monetárias ou por simples amor ao pais. Quando o Deco disse que Portugal ate era bom mas que o seu verdadeiro pais é o Brasil...
Quando tive de manter a cidadania finlandesa deram-me três opções:
a) provar ligações com a Finlândia (testes linguísticos, culturais, etc)
b) cumprir o serviço militar obrigatório
Ah, ou c) provar que o pai ou mãe eram finlandeses para pedir o passaporte

 

Cepeda - Este C não é por documento? Documento do progenitor...

A lei da emigração foi alterada por causa do Liedson? Ela mudou de quando foi naturalizado o Deco para quando foi o Liedson?

E o Obiwkele? Não é problemática a nacionalidade dele?

Quanto á afirmação do Deco, ele não teve que renunciar á sua nacionalidade brasileira, por isso é que se chama dupla nacionalidade...

Miguel - Acho ambos os critérios demasiado arbitrários.
Prefiro Jus Ethnos - por cultura. Subjectivo mas eficaz. Como?
Testes de cultura nacional tal como os que a Essi fez.
Esclareço: subjectivo porque avaliar a cultura nacional de uma pessoa nunca será um teste científico a 100% mas eficaz porque a cultura nacional é muito mais credível do que sangue ou local de nascimento.
Eu desde que vi Bengalis a naturalizarem-se Portugueses que valha-nos Deus .............
Não tenho nada contra os Brasileiros. Pelo menos falam a língua e estudaram alguma da literatura.
Não é preciso teres uma educação universitária para passares em testes de cultura nacional...

Cepeda - Tendo em conta que já morei com uma italiana licenciada em estudos portugueses e pós graduação em dialectos açorianos, todos os estudiosos de Portugal no estrangeiro seriam portugueses honoris causa? lol
«O jogador reside e trabalha em Portugal desde 2003 (vai cumprir os seis anos necessários para pedir a nacionalidade portuguesa por naturalização), mas o processo normal demora entre três a cinco meses. E a selecção nacional não pode "esperar esse tempo" por ele. A solução é um pedido especial ao abrigo do n.º 6 do art. 6.º da Lei da Nacionalidade, que se refere ao interesse nacional ou serviços relevantes prestados à comunidade. Espera-se que dentro de três semanas, o jogador possa adquirir oficialmente a nacionalidade portuguesa.»

Essi - Pois é. Mas para obter um visto para a minha mãe se poder casar com o meu pai, não houve qualquer válvula de escape que desse o jeitinho para ela não ter de voltar para a Finlândia. Uns são futebolistas, os outros são enteados.

 

Quanto a vós, o que acham que faz de alguém, um português?

3 comentários

  • Imagem de perfil

    Essi Silva 04.05.2010

    E é por essas e por outras, que os estrangeiros têm tantos direitos cá, que para um médico dentista português com mais anos de curso, é mais difícil sobreviver do que um médico da mesma área brasileiro. À luz da lei o curso que um e outro fizeram é igual, mas estranhamente um tem mais um a dois anos de preparação que o outro. E claro, o estrangeiro beneficia de impostos diferenciados...
  • Imagem de perfil

    jfd 04.05.2010

    Dois anos de quê?
    As coisas não são assim tão literais Essi.
    Quem é mais qualificado? Em engenheiro de estruturas português ou do UK? A diferença de anos é gritante também.
    Na volta uns são mais concentrados naquilo que INTERESSA que outros que apenas estão interessados em manter lugares para quem ocupa esses anos de palha! :P
  • Comentar:

    Mais

    Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

    Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.