Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

PSICOLARANJA

O lado paranóico da política

PSICOLARANJA

O lado paranóico da política

Passos para o Futuro (3)

jfd, 09.04.10

Passos Coelho disse hoje que o sonho do PSD é governar o país, mas sem pressas nem crises, e que, quando chegar a hora, o partido estará preparado para liderar.

"Tenho a certeza que quando houver eleições legislativas, o país olhará para o PSD e verá um partido preparado para governar", afirmou o presidente do partido no discurso de abertura do XXXIII Congresso Nacional do PSD em Carcavelos.

Passos Coelho disse também que o PSD é um partido que leva a política a sério, que os resultados das eleições directas mostram que o PSD coloca "a política e Portugal primeiro e acima das disputas pessoais" e frisou que a união "dá muito trabalho e não é uma fachada".

O líder salientou ainda que a coesão é possível graças ao contributo dos que concorreram com ele à liderança do PSD e que agora se mostram disponíveis para integrar as listas conjuntas para os órgãos de representação do partido.

Passos Coelho sublinhou também que o "caminho de unidade e coesão tem de ser regado todos os dias" e que "só seremos úteis ao país se estivermos como gente adulta a remar para o mesmo lado".

O presidente do maior partido da oposição não deixou de admitir que "o grande sonho do PSD é liderar o país" e que quer conquistar a adesão do país, mas "sem pressa de chegar ao Governo nem de criar crises políticas artificiais".

Passos Coelho frisou ainda que o partido não aceitará "viver num clima de desconfiança face à forma como a corrupção vem ganhando maturidade quando devia ser combatida" e que o Estado deve sair dos negócios o mais depressa possível.

"Se nós não actuarmos dificilmente será na ponta da caneta que encontraremos soluções para tudo", disse.

Nesse sentido, Passos diz que vai propor a criação de um conselho superior da República, que seja presidido por um ex-presidente República e constituído por ex-presidentes do Tribunal Constitucional, com o objectivo de avaliar os nomeados para cargos públicos.

Uma vez que ainda nãose sabe quando serão as próximas legislativas, Passos Coelho reforçou que, pelo menos para as presidenciais, o candidato natural do PSD é Aníbal Cavaco Silva.

"Cavaco tem sido um grande presidente da República e devia recandidatar-se", disse.

 

in DE

1 comentário

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.