Sexta-feira, 13 de Fevereiro de 2009
Estímulo à Economia, versão Governo PS!

O Governo prometeu à Comissão Europeia aumentar os impostos em 2010 e 2011. A decomposição da receita fiscal, prevista no Plano de Estabilidade e Crescimento (PEC) aprovado no final de Janeiro no Parlamento e já entregue em Bruxelas, deixa claro que os impostos directos e indirectos vão aumentar nos próximos dois anos. Depois do alívio aplicado em 2009, a carga fiscal aumentará 0,3 pontos percentuais nos próximos dois anos. E, caso o PIB seja próximo dos 160 mil milhões de euros por ano, os portugueses pagarão mais 320 milhões de euros em impostos, em 2010.

in CM



uma psicose de jfd às 16:24
link directo | psicomentar

3 comentários:
De jfd a 13 de Fevereiro de 2009 às 16:28
Em tempo de exames só dá para isto, mas há notícias que falam por si!
Gostava eu de saber que é feito dos encaixes extraordinários de receita fiscal que têm vindo a acontecer?

Dinheiro desperdiçado em sonhos cor de rosa! Vá-se embora Senhor Sócrates!


De Paulo Colaço a 13 de Fevereiro de 2009 às 23:00
Tenho uma leve sensação que, pelo menos nesta promessa, Sócrates se aplicará por cumprir.
Ao menos uma vez não poderemos duvidar da seriedade da sua palavra.


De Luis Melo a 14 de Fevereiro de 2009 às 16:37
Paulo, espero que nem essa ele cumpra. Pelo simples facto de ter perdido as eleições em 2009.


Comentar post

Notícias
Psico-Social

Psico-Destaques
Psicóticos
Arquivo

Leituras
tags
Subscrever feeds
Disclaimer
1- As declarações aqui pres-tadas são da exclusiva respon-sabilidade do respectivo autor.
2 - O Psicolaranja não se responsabiliza pelas declarações de terceiros produzidas neste espaço de debate.
3 - Quaisquer declarações produzidas que constituam ou possam constituir crime de qualquer natureza ou que, por qualquer motivo, possam ser consideradas ofensivas ao bom nome ou integridade de alguém pertencente ou não a este Blog são da exclusiva responsabilida-de de quem as produz, reser-vando-se o Conselho Editorial do Psicolaranja o direito de eliminar o comentário no caso de tais declarações se traduzirem por si só ou por indiciação, na prática de um ilícito criminal ou de outra natureza.