Sexta-feira, 21 de Novembro de 2008
Pé de lã ou pé-de-salsa?

"Durão Barroso es tan débil que será premiado con otro mandato" - afirma Joschka Fischer, antigo MNE alemão, numa entrevista ao El País.

 

A possibilidade do português ser reconduzido no cargo que actualmente ocupa, algo que, até hoje, só aconteceu com Jacques Delors, é apontada por uns como o resultado de provas de habilidade política invejável no seu exercício.

 

Já outros, como Fischer, referem que tal se pode ficar mais a dever a uma excessiva subserviência da Comissão a interesses que visa contrabalançar.

 

Mais 5 anos? Porquê?


: Europês
: Quero ver Portugal na CEE - GNR

uma psicose de José Pedro Salgado às 22:24
link directo | psicomentar

27 comentários:
De Nélson Faria a 22 de Novembro de 2008 às 21:45
Não és fã de Aznar por ser mentiroso, mas já és fã de Barroso?

Então Colaço?! Dilemas existenciais a estas horas?

|

De Paulo Colaço a 23 de Novembro de 2008 às 00:47
ehehehe
boa malha!

Sem querer entrar na valoração das mentiras, trago aqui (mutatis mutandis) o belo art. 253º/2 do Código Civil, o melhor amigo dos feirantes.

A mentira de Aznar estava embebida em iniquidade pura.
Arredou o seu partido do Poder. Uma coisa dessas só seria possível vindo de um povo que se sinta vilmente enganado.
Aqui não é uma treta "normal do comércio".

|

Comentar post

Notícias
Psico-Social

Psico-Destaques
Psicóticos
Arquivo

Leituras
tags
Subscrever feeds
Disclaimer
1- As declarações aqui pres-tadas são da exclusiva respon-sabilidade do respectivo autor.
2 - O Psicolaranja não se responsabiliza pelas declarações de terceiros produzidas neste espaço de debate.
3 - Quaisquer declarações produzidas que constituam ou possam constituir crime de qualquer natureza ou que, por qualquer motivo, possam ser consideradas ofensivas ao bom nome ou integridade de alguém pertencente ou não a este Blog são da exclusiva responsabilida-de de quem as produz, reser-vando-se o Conselho Editorial do Psicolaranja o direito de eliminar o comentário no caso de tais declarações se traduzirem por si só ou por indiciação, na prática de um ilícito criminal ou de outra natureza.