Sábado, 15 de Novembro de 2008
O papel do Estado Socialista

 

O engenheiro técnico que lidera o Partido Socialista e que ocupa temporariamente o cargo de Primeiro-Ministro aclarou hoje de que é feito o seu pensamento.
O Governo fazer ou não fazer obra “pode ser a diferença entre as empresas irem ou não à falência e as pessoas terem, ou deixarem de ter, emprego”.
Como? O Governo serve para isso?
E, servindo para isso, faz sentido o tempo que se leva a pagar a fornecedores? (já para não falar nas devoluções de impostos...)


uma psicose de Paulo Colaço às 19:28
link directo | psicomentar

3 comentários:
De Luis Melo a 15 de Novembro de 2008 às 22:12
Deixa lá Paulo... o homem já nem dorme de tão pesada estar a sua consciência.

Troca os nomes das personalidades (Presidente GALP/Presidente Caixa), passado 25 minutos de o fazer vai pedir desculpa e explicar porquê (e ainda fez pior...)

Enfim... ele já nem sabe a quantas anda... dêmos-lhe um desconto.


De Francisco Castelo Branco a 16 de Novembro de 2008 às 12:59
Na minha optica, já nao faz sentido falar em Socialismo.
Pelo menos em Portugal e com este executivo...

acho que nesta governação a matriz social-democrata está bem patente...

E com o andar da carruagem é bem possivel que neste espaço só haja lugar para uma força politica

vamos ver o que o futuro nos reserva...


De Luís Nogueira a 17 de Novembro de 2008 às 18:38
"nesta governação a matriz social-democrata está bem patente" - nada disso caro Chico. O PS tem sempre esta habilidade de "controlar o jogo", ou seja, cada vez que chega ao Poder instala-se no Estado controlando tudo e todos. O Governo ao contrário do que Sócrates diz, não serve para criar empregos, mas ao invés, deve deixar a iniciativa privada funcionar, pois são as PME´s o grande motor económico e de criação de emprego deste país.


Comentar post

Notícias
Psico-Social

Psico-Destaques
Psicóticos
Arquivo

Leituras
tags
Subscrever feeds
Disclaimer
1- As declarações aqui pres-tadas são da exclusiva respon-sabilidade do respectivo autor.
2 - O Psicolaranja não se responsabiliza pelas declarações de terceiros produzidas neste espaço de debate.
3 - Quaisquer declarações produzidas que constituam ou possam constituir crime de qualquer natureza ou que, por qualquer motivo, possam ser consideradas ofensivas ao bom nome ou integridade de alguém pertencente ou não a este Blog são da exclusiva responsabilida-de de quem as produz, reser-vando-se o Conselho Editorial do Psicolaranja o direito de eliminar o comentário no caso de tais declarações se traduzirem por si só ou por indiciação, na prática de um ilícito criminal ou de outra natureza.