Sexta-feira, 24 de Outubro de 2008
Fazer a festa com o dinheiro dos outros

Equiparo a longa campanha eleitoral nos EUA à coabitação pré-matrimonial. O grande benefício desta é permitir que o casal se conheça bem na intimidade diária antes de casar.

A coabitação pré-matrimonial previne discussões do tipo “se eu soubesse que tu não baixavas o tampo da sanita não casava contigo” ou “se eu soubesse que tu fumavas no quarto estava tudo acabado!”.
 
Assim, o longo período de campanha permite que se conheça bem a personalidade dos candidatos, não havendo surpresas depois do voto!
 
Sarah Palin, honra lhe seja feita, tem-se dado a conhecer muito bem. Mau para ela mas óptimo para a campanha.
 
Vejam só: os republicanos já gastaram mais de 150 mil dólares em roupas e acessórios para a candidata e respectiva família. Ao mesmo tempo, relatórios oficiais do Alaska denunciam o débito de despesas familiares da governadora nas contas do estado.

As despesas: mais de 37 mil euros numa famosa cadeia de lojas, mais de 56 mil euros no estilista Neiman Marcus (para Palin e marido), para além de cerca de 3,7 mil euros em cabeleireiro e maquilhagem durante o mês de Setembro.
 
A senhora Palin parece aquela carne estragada que tem de levar imensos temperos para ninguém reparar que está imprópria. Os americanos estão informados. Resta saber se trincam a carne…


uma psicose de Paulo Colaço às 11:30
link directo | psicomentar

14 comentários:
De Paulo Colaço a 24 de Outubro de 2008 às 11:39
« Um responsável do partido republicano, Tracey Schmitt, revelou a intenção de doar todo o vestuário a instituições de caridade, após a campanha”. »

ehehe, esta malta tem piada.


De Luís Nogueira a 24 de Outubro de 2008 às 12:12
Sem dúvida lol Mas é com certeza que se pode afirmar, que nas campanhas eleitorais dos EUA, os candidatos são examinados à lupa no que toca à sua vida profissional e pessoal. Se é bom ou mau, não sei. Até porque existem incovenientes claros e nem sempre se distingue o que é politicamente relavante, do que é pessoalmente inviolável...

Em jeito de pequena provocação, julgo que em Portugal seria engraçado fazer um mini exercicio destes, contemplando apenas a vertente política relevante. Seriam engraçadas as conclusões.


De Anónimo a 25 de Outubro de 2008 às 00:25
Esta de darem os trapinhos, no valor de 150.000 dólares, a instituições de caridade faz-me pensar que a rainha Antonieta foi decapitada porque o povo pedia pão e ela insistia em dar-lhes croissants.


De Cidalia a 25 de Outubro de 2008 às 00:26
O comentário anterior é meu. De vez em quando isto falha


De jfd a 25 de Outubro de 2008 às 00:29
Muito bommmmmmmmmm!!!! LOL


De Diogo Agostinho a 28 de Outubro de 2008 às 11:29
De facto, quando não há mais nada para debater que as roupas da senhora? A candidatura do Partido Republicano não pode gastar onde entender?

Ou será que os fatos de Obama não são caros e a Convenção de Denver uma ostentação também?

Quem tem milhões e milhões é a candidatura dos Democratas e nem por isso se ouve a dizer que vão doar algo, é gastar em anúncios de minuto a minuto.

|

De Paulo Colaço a 28 de Outubro de 2008 às 11:53
De facto, Diogo, há muitas mais coisas para debater.
As afirmações do Dr. Júdice, a aversão de Angela Merkel, etc.
Eu decidi debater estas ;)
São menos relevantes que o subprime mas permitiu-te dizer que a Convenção de Denver foi sumptuária.
Mas permite-me também dizer que é preferível gastar dinheiro em anúncios (mensagens para o eleitorado) do que em calças de marca para o marido da candidata a vice-presidente.

Eu proponho que quem investiga estas coisa perca algum tempo a cruzar informação entre os gastos da família Palin no âmbito da campanha e os gastos que submetem ao erário do Alaska.

Eu não sou de intrigas mas...

|

De jfd a 28 de Outubro de 2008 às 11:44
Mais uma vez falar por falar...
[Error: Irreparable invalid markup ('<br [...] <a>') in entry. Owner must fix manually. Raw contents below.]

Mais uma vez falar por falar... <BR class=incorrect name="incorrect" <a>McCain</A> votou, faz algum tempo, no Senado, contra gastos pessoais nas campanhas com os dinheiros dos apoiantes. <BR>E essa despesa enquadra-se nesse âmbito. <BR><BR>Essa informação sobre o gasto veio da campanha de Pallin , onde os assessores andam desorientados e desgovernados com os tiques de diva, de alguém que não segue os talking points da campanha de McCain .


De Diogo Agostinho a 28 de Outubro de 2008 às 11:53
Meu caro Jorge, falei do que ouvi. Falei que condeno quem coloca estas questões em primeiro plano e aí se foram os Republicanos, ou uma das ditas "fugas de informação" não me interessa. Quero assistir é ao que a senhora pensa e não ao que veste.

Eu adoro esta nova ideia de que emitir uma opinião é falar por falar. Estamos a assistir a uma nova versão de poder. O poder da informação, quem sabe mais é quem manda ou pode opinar com factos. Meu caro, não se pode julgar os outros pelo que sabem ou não sabem, se consultam mais sites ou mais jornais, é preciso é entender se as pessoas pensam ou se limitam a factos e notícias.

Gostei desta Sarah Palin quando a ouvi na Convenção, gostei electrizou, galvanizou tudo. O resto, bem o resto é a informação e contra informação de todos os lados...

|

De Paulo Colaço a 28 de Outubro de 2008 às 12:02
Electrizou?
Galvanizou?
Eu não dou essa importância toda à estimulação das massas.
Prefiro líderes que, mesmo mais contidos, tenham conteúdo.

Qual é o dela? O criacionismo?

É que Hitler também galvanizou.
Pinochet também electrizou. E electrizou mesmo muito. Que o digam, infelizmente, os presos políticos...

|

De Diogo Agostinho a 28 de Outubro de 2008 às 11:59
Mas Colaço, eu não te condeno a ti, e que fales destes temas. Não querendo ser desagradável concordo que estes temas cor-de-rosa fiquem muito bem num blog, agora não podemos comparar um blog aos jornais americanos.

Acho que lá está é uma falsa questão. Mas aqui se quiserem eu até ajudo a senhora fica bem de encarnado, e os óculos de massa até são sexys.

Ahahah


De jfd a 28 de Outubro de 2008 às 12:02
Pois é Diogo.

E eu adoro a nova ideia de que as pessoas são julgadas pela sua capa.

E de que devemos ir plo superficial. E que não é preciso aprofundar nada.

É tudo pela rama.

É tudo tangencial.

.....


Comentar post

Notícias
Psico-Social

Psico-Destaques
Psicóticos
Arquivo

Leituras
tags
Subscrever feeds
Disclaimer
1- As declarações aqui pres-tadas são da exclusiva respon-sabilidade do respectivo autor.
2 - O Psicolaranja não se responsabiliza pelas declarações de terceiros produzidas neste espaço de debate.
3 - Quaisquer declarações produzidas que constituam ou possam constituir crime de qualquer natureza ou que, por qualquer motivo, possam ser consideradas ofensivas ao bom nome ou integridade de alguém pertencente ou não a este Blog são da exclusiva responsabilida-de de quem as produz, reser-vando-se o Conselho Editorial do Psicolaranja o direito de eliminar o comentário no caso de tais declarações se traduzirem por si só ou por indiciação, na prática de um ilícito criminal ou de outra natureza.