Terça-feira, 23 de Setembro de 2008
O aumento da corrupção em Portugal

 

Portugal é actualmente um país mais corrupto do que era há cerca de um ano. Fazendo fé no "ranking" hoje divulgado pela Transparency International o nosso país caiu quatro posições, ocupando em 2008 o 32.º lugar, com 6,1 pontos (em dez possíveis).

 

Este estudo está infelizmente ferido, pela mais pura das verdades. É certo que devemos reflectir sobre as causas e o modo de combater o fenómeno, que nos envergonha a todos, perante os nossos parceiros europeus e o mundo. Mas permitam-me duas questões. O que dirá João Cravinho sobre este estudo? E o Governo de José Sócrates?

 

É que apesar de tantas linhas escritas e de outros quantos processos de intenção, nada parece resultar, perante a cada vez maior voracidade obscura de corromper, que nos empurra para um patamar civilizacional cada vez mais medíocre, à imagem de muitos dos que governam Portugal.



uma psicose de Luís Nogueira às 20:57
link directo | psicomentar

4 comentários:
De Luís Nogueira a 23 de Setembro de 2008 às 22:11
É sempre triste quando não se vê os resultados práticos da luta anti-corrupção em Portugal.

E quando se fala em convergência com os demais parceiros europeus, importa também ter em conta este factor, que tem contribuído decisivamente para o nosso atraso em múltiplos domínios no seio da UE.


De Murtosa a 24 de Setembro de 2008 às 09:39
Boas,

Numa opinião muito peculiar e analisando a própria tecitura social, diria não me espantar de todo este comportamento.
Vejamos, Portugal sempre sofreu, em grosso modo, do chamado “chiquismo esperto” – vulgo, desenrasque fácil e astúcia acima da média.
Olhando em volta e deixando os naif’s para os seus lugares próprias (livros e teorizações), a verdade é que, culturalmente todos assistimos e “praticamos” esta corrupção… é-nos aceitável! Senão vejamos:
1. É a amiga nas finanças que nos poupa a maçada da fila ou aligeira uma complicação de papéis e exigências por vezes ridículas e com o único intuito de “chatear”;
2. São as escolas de condução e os centros de examinadores, em conluio para extorquir dinheiro nos famosos envelopes brancos no topo do porta-luvas;
3. As regras urbanísticas para uns e não outros, consoante critérios aleatórias e de compadrio…
… e mais um sem fim de situações, não mais, nem menos importantes que estas, resultantes de uma sociedade burocrática, complicada e confusa, que ao fim e ao cabo esta desde início estruturada para a Corrupção!
João Cravinho vai decerto entender o porquê destes números, até o mais santo dos mortais quando o pão escasseia em casa troca valores por dinheiro para dar de comer aos seus… e eu, não lhe chamo corrupção, em Portugal começo a achar que é uma questão de “selecção natural”…


Apesar de traçar esta opinião de uma forma grosseira e esperando que alguém me convença do contrário, infelizmente esta, é a imagem que eu tenho do nosso Portugal…

Saudações Académicas e abraços laranjas ;)


De jfd a 24 de Setembro de 2008 às 10:10
24 Setembro 2008 - 00h30

Transparência Internacional: Relatório divulgado
Portugal mais corrupto
Portugal está entre os países onde, no último ano, mais aumentou a percepção da corrupção entre funcionários públicos e políticos, e caiu quatro lugares na lista dos Estados menos corruptos, segundo o relatório da organização não governamental Transparency Internacional (TI).


De acordo com o documento anual ontem divulgado, Portugal passou do 28º país menos corrupto (posição agora ocupada pela Espanha) para o 32º, numa lista de 180 países – o que corresponde ainda a uma queda de seis lugares em relação a 2006 (26º).

A TI classifica Portugal como um dos "notáveis exemplos de deterioração do índice de percepções da corrupção", a par da Itália e da França. No entanto, o relatório sublinha que o aumento da percepção do problema em Portugal, o 19º menos corrupto a nível europeu, pode estar relacionado com as investigações que têm vindo a ser desencadeadas e que envolvem destacadas figuras do desporto.

O relatório da TI destaca a "ligação fatal" entre pobreza, instituições falidas e corrupção, tendo em conta que entre os países mais corruptos se encontram a Somália, Iraque e Sudão, entre outros, mas alerta para a necessidade de endurecer o combate à corrupção também em outros Estados: "Até mesmo nos países mais privilegiados, onde as sanções são aplicadas de forma perturbadoramente desiguais, o combate à corrupção precisa de ser endurecido".

O Índice de Percepção de Corrupção, publicado pela primeira vez em 1995, apresenta uma escala que vai de zero (muito corrupto) a dez (livre de corrupção), encontrando-se Portugal nos 6.1, enquanto no ano anterior estava nos 6.5. Já a Dinamarca é, pelo segundo ano consecutivo, o país que aparece no primeiro lugar da lista, ou seja, o menos corrupto.

LISTA DE PAÍSES

DEZ MENOS CORRUPTOS

– Dinamarca

– Nova Zelândia

– Suécia

– Singapura

– Finlândia

– Suíça

– Islândia

– Holanda

– Austrália

– Canadá

DEZ MAIS CORRUPTOS

– Somália

– Myanmar (Antiga Birmânia)

– Iraque

– Haiti

– Afeganistão

– Sudão

– Guiné-Conacri

– Chade

– Guiné Equatorial

– Congo

http://www.correiodamanha.pt/noticia.aspx?channelid=00000090-0000-0000-0000-000000000090&contentid=DE925FBA-D40B-4BFD-8002-30C7BD94CA8A


De Alberto Fernandes a 24 de Setembro de 2008 às 22:17
Seria interessante saber quais os critérios que este estudo usa para aferir do grau de corrupção. Apesar de tudo estamos longe de estar próximos dos países com pior indíce, e mais não acho que a corrupção se acabe por decreto governamental. Aliás, nesta matéria convém não "atirar pedras ao vizinho do lado" porque nunca se sabe como estão os nossos "telhados".


Comentar post

Notícias
Psico-Social

Psico-Destaques
Psicóticos
Arquivo

Leituras
tags
Subscrever feeds
Disclaimer
1- As declarações aqui pres-tadas são da exclusiva respon-sabilidade do respectivo autor.
2 - O Psicolaranja não se responsabiliza pelas declarações de terceiros produzidas neste espaço de debate.
3 - Quaisquer declarações produzidas que constituam ou possam constituir crime de qualquer natureza ou que, por qualquer motivo, possam ser consideradas ofensivas ao bom nome ou integridade de alguém pertencente ou não a este Blog são da exclusiva responsabilida-de de quem as produz, reser-vando-se o Conselho Editorial do Psicolaranja o direito de eliminar o comentário no caso de tais declarações se traduzirem por si só ou por indiciação, na prática de um ilícito criminal ou de outra natureza.