Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

PSICOLARANJA

O lado paranóico da política

PSICOLARANJA

O lado paranóico da política

Iustitia? O que é isso? - Parte II

Essi Silva, 23.02.12

 

25 de Novembro de 2002

Carlos Silvino - Bibi - funcionário da Casa Pia, é detido por suspeitas de abusos sexuais, no seguimento das denúncias de um escândalo de pedofilia na instituição feitas pelo Expresso.

 

1 de Fevereiro de 2003

Carlos Cruz, Hugo Marçal e Ferreira Diniz detidos pela PJ.

 

21 de Maio de 2003

Um dia após a detenção de Jorge Ritto, Rui Teixeira, juiz de instrução do processo, pede na AR o levantamento da imunidade parlamentar de Paulo Pedroso, que é detido e fica em prisão preventiva.

 

1 de Setembro de 2003

É cancelada a audição por videoconferência para memória futura das 32 vítimas da Casa Pia, com os advogados dos arguidos a pedirem o afastamento do juiz do inquérito, Rui Teixeira.

 

8 de Outubro de 2003

Paulo Pedroso é libertado pelo Tribunal da Relação de Lisboa, já que é questionada a credibilidade dos indícios que haviam levado à detenção do ex-ministro do PS.

 

29 de Dezembro de 2003

O MP acusa dez arguidos - Carlos Cruz, Herman José, Paulo Pedroso, Carlos Silvino, Ferreira Diniz, Jorge Ritto, Hugo Marçal, Manuel Abrantes, o Francisco Alves e Gertrudes Nunes.

 

31 de Maio de 2004

A juíza de instrução Ana Teixeira e Silva decide levar a julgamento sete dos dez arguidos no processo de pedofilia.

 

25 de Novembro de 2004

Tem início no Tribunal da Boa-Hora, em Lisboa, o julgamento, cujo colectivo é chefiado pela juíza Ana Peres. Carlos Silvino, colabora com a acusação e implica todos os arguidos. Carlos Cruz e Manuel Abrantes, os únicos que prestam depoimento, negam as acusações.

 

25 de Novembro de 2005

Bibi é libertado, por ter sido atingido o limite legal de três anos de prisão preventiva, sem haver sentença de julgamento.

O ex-motorista da Casa Pia passa a ser escoltado por três agentes da PSP.

 

24 de Novembro de 2008

Após 407 sessões, iniciam-se as alegações finais do processo.

 

5 de Agosto de 2010

Data agendada para a leitura da sentença. Seis anos, mil testemunhas, centenas de requerimentos processuais e quatro tribunais depois, é marcado o dia para o fim do julgamento.

 

03 Setembro 2010

Tribunal condena seis arguidos a penas de prisão efectiva.

 

23 de Fevereiro 2012

Tribunal anula as penas a Carlos Cruz, Hugo Marçal e Carlos Silvino.

 

 

2002 - 2011

Dez anos de processo para isto?!

 

 

 

 

 

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.