Sexta-feira, 26 de Agosto de 2011
Arte: ganhar ou perder, eis a questão

Miró, um dos autores cujas obras fazem

parte da colecção do Museu Rainha Sofia

 

 

A recente onda de roubos e desaparecimentos de obras de arte indica que o crime está a aumentar. O FBI estima que o crime internacional na arte, que inclui não só roubos como falsificações, atinge já o valor de anual de 6 mil milhões de dólares (cerca de 4 mil milhões de euros), tendo duplicado nos últimos 10 anos.

 

Ora, depois do que se sucedeu no Museu de Haia em 2002, do qual roubaram 6 das mais importantes jóias da coroa portuguesa e as mais valiosas da exposição - um diamante bruto de 135 quilates, o castão de bengala do rei D. José I em ouro e com 387 brilhantes, um anel com um brilhante central de 37,50 quilates, uma gargantilha com 32 brilhantes e um par de alfinetes na forma de trevos - com um valor estimado de 6,2 milhões de euros (que só quatro anos após o furto foram pagos pela seguradora, valor o qual se desconhece no que foi reinvestido pelo anterior Governo), fico na dúvida se deveremos promover o intercâmbio de colecções.

 

E não, não me refiro às colecções de um dos nossos maiores compradores de arte: Teixeira dos Santos, mas do acordo entre o Museu Rainha Sofia e a Fundação Serralves. Estes dois museus passarão a trocar colecções bem como co-produzir exibições. Por mais que esta ideia me agrade, espero bem que o nosso espólio ao andar de um lado para o outro não "evapore"...É que sempre se disse que de Espanha nem bons ventos, nem bons casamentos. ;)

 

De qualquer modo, saúdo a ideia agradavelmente: quanto maior for a adesão, maior será a poupança na exibição das colecções. Incentivar a austeridade é óptimo, tão bom quanto incentivar as possibilidades fantásticas que a cultura e a vida nos dá, mesmo em tempo de crise.



uma psicose de Essi Silva às 22:16
link directo | psicomentar

Notícias
Psico-Social

Psico-Destaques
Psicóticos
Arquivo

Leituras
tags
Subscrever feeds
Disclaimer
1- As declarações aqui pres-tadas são da exclusiva respon-sabilidade do respectivo autor.
2 - O Psicolaranja não se responsabiliza pelas declarações de terceiros produzidas neste espaço de debate.
3 - Quaisquer declarações produzidas que constituam ou possam constituir crime de qualquer natureza ou que, por qualquer motivo, possam ser consideradas ofensivas ao bom nome ou integridade de alguém pertencente ou não a este Blog são da exclusiva responsabilida-de de quem as produz, reser-vando-se o Conselho Editorial do Psicolaranja o direito de eliminar o comentário no caso de tais declarações se traduzirem por si só ou por indiciação, na prática de um ilícito criminal ou de outra natureza.