Quarta-feira, 10 de Agosto de 2011
6

Quantas Onças de Ouro tenho de pagar uma réplica do Índice de Dow Jones?

Ouro = 1800 USD, Dow = 10800 USD. Dividindo dá 6.

 

Era 40 quando George Warlord Bush entrou.

Depois de 8 anos de gastos em segurança social para particulares (Medicare - Part D & No Child Left Behind) e empresas (bailouts) e segurança militar (2 guerras, expansão das bases no estrangeiro e diversos programas de desenvolvimento de programas) passou a 10.

Ou seja, em 8 anos o índice perdeu 75%, quando medido em algo com valor e que ninguém pode imprimir à vontadinha.

 

Com Barack "Saint" Obama passou de 10 (duh, foi a seguir ao anterior) para 6.

Depois de 3 anos de gastos em segurança social para particulares (Obamacare) e empresas (mais bailouts e os kiwi ou QE's) e segurança militar (continuação das 2 guerras, uma terceira guerra e expansão das bases no estrangeiro) perdeu 40%.

 

Na minha Tese de Mestrado eu previ esta evolução. Muitos acharam improvável mas para mim sempre foi uma questão de tempo.

Se Bush passou de 40 a 20 e de 20 a 10, acho Obama perfeitamente capaz de destruir a economia o suficiente para passar a 5.

Só falta 1.



uma psicose de Ricardo Campelo de Magalhães às 23:30
link directo | psicomentar

22 comentários:
De jfd a 11 de Agosto de 2011 às 00:21
acho Obama perfeitamente capaz de destruir a economia o suficiente para passar a 5.

a frase mais parva do post.
Ponto.

Esta, pelo método cientifico adstrito a cada tese não o podes provar nem que a vaca tussa e o porco ponha um ovo de avestruz.
Jfd dixit . E desafio que proves.
É que falar é fácil, provar são outros quinhentos.
Enfim..............

Qualquer pessoa séria e que queira ser levada a sério não dirá isso.
É como alguém dizer que Pedro Passos Coelho é responsável pela situação actual e tudo o que se lhe seguirá.
Gostaria tanto de ler e ver um pouco mais de honestidade intelectual. Mas a cegueira ideológica fala mais alto correcto?

Vives num mundo que não existe.
Nã abres os olhos para a realidade . E isso será o ponto fraco.


De Ricardo Campelo de Magalhães a 11 de Agosto de 2011 às 01:03
Gosto como adjectives posts e pessoas com essa facilidade, mas enfim, siga.

Obama e Bush destroem a economia. Tal como LBJ, Carter e Nixon.
Ao contrário de Ford, Reagan, Bush I e Clinton. Lembras-te?

Obama destroi a economia e isto não é contestável. Se gostas do fulano e tens pena daquilo não dar certo... ok, são opiniões. Que eles destroi a Economia, é bem visível e este rácio é só um dos sinais.

Sobre a palavra "provar": fazes confusão entre ciências de laboratório e ciências sociais, onde nada é "provável" no mesmo sentido que nas anteriores. Procura sobre "dualismo Metodológico" e creio que perceberás o que quero dizer. Obviamente também não me podes provar o contrário.
Quanto ao raciocínio que está pro trás da minha tese... creio que eu e tu já tinhamos passado por essa fase, não? Não te falei já nela?

PPC já começa a ser responsável por algumas coisas. Para o bem e para o mal.
E Obama, a caminhar para os 3 anos de mandato mais ainda. Sobretudo quando manteve e expandiu bailouts, programas "sociais", guerras e muitas outras grandes despesas destruidoras de recursos.

Repara que construir bombas para as destruir (não sendo pago por isso) é gastar inutilmente recursos físicos e mão-de-obra que podiam ser usados para outros fins. Retirar recursos de produtivos e entregá-los a não produtivos tem obviamente consequências económicas nefastas, independentemente da tua opinião sobre se se deve premiar a preguiça ou não (imagino que tu defendas que se deve...). Do ponto de vista da teoria do valor, não há 2 respostas: retirar a produtivos e entregar recursos a não-produtivos destrói valor. Creio que não vais contestar isto!


De jfd a 11 de Agosto de 2011 às 09:38
Meu caro,

Faço-te uma pergunta simples.

Como atacou Reagan os desafios da economia?
Não sejas extensivo. Foca por exemplo nos impostos.

Depois de 3 anos de gastos em segurança social para particulares (Obamacare) e empresas (mais bailouts e os kiwi ou QE's) e segurança militar (continuação das 2 guerras, uma terceira guerra e expansão das bases no estrangeiro) perdeu 40%.

Ricardo não nego, como é óbvio o teu trabalho e investigação, mas olha onde entram aqui as politicas sociais de Bush? Como o no child left behind e seu impacte? Medicare? tudo à doida e à maluca com claros beneficios para um sector privado unaccountable?

|

De Ricardo Campelo de Magalhães a 15 de Agosto de 2011 às 01:00
Reagan gastou demasiado na "Guerra das Estrelas", mas de resto foi bom. Cortou imenso os impostos (a.k.a. transferências do sector produtivo para o improdutivo), como por exemplo o corte na taxa superior de IRS de 70% para 28%! Mas parece que já sabes isso ;)

Leste umas linhas antes eu a criticar Bush II? Para mim, pior que Obama, só mesmo Bush II... e talvez Carter e LBJ.
TU és injusto a favor dos Democratas. Para mim é tudo igual: Rep ou Dem, se gasta muito é MAU. E ponto final.
Ainda não percebeste isso em mim?!?

|

De k. a 11 de Agosto de 2011 às 10:30
Correlação não implica causualidade.

O preço da generalidade das comodities e materias primas tem explodido nos ultimos 15 anos, porque uns gajos chamados "chineses" andam a consumir muito. Estupidos.

E se ao invés de escolher ouro para base dessa conta, escolher por exemplo, açucar (outras coisas que têm valor, ninguem pode imprimir à vontade), as conclusões serão totalmente inversas.


Foi onde essa tese, mesmo?

|

De jfd a 11 de Agosto de 2011 às 11:16
Olhe lá senhor K, aqui só eu é posso tratar mal o Magalhães ouviu :P

;)

| |

De Ricardo Campelo de Magalhães a 15 de Agosto de 2011 às 01:21
Sim, tu luta pelos teus direitos...

|

De Ricardo Campelo de Magalhães a 15 de Agosto de 2011 às 01:15
Kapa,

Não sei se me agrada muito o teu tom. Se calhar não...
Repara:

1. A tese foi feita na Faculdade de Economia da Universidade do Porto (FEP), onde foi avaliada com 16, uma das melhores notas do Mestrado (houve um 17). Se quiseres coloco aqui o link que prova isso.

2. Se pensas que me ensinas algo com esse "Correlação não implica causualidade" estás muitíssimo enganado.
a) Isso pode ser dito de todo e qualquer modelo económico
b) Como trabalho baseado na escola Austríaca, de base Praxeológica, a tese assenta no Dualismo Metodológico de Mises e portanto não pretende "provar" nada
c) Que entregar dinheiro a quem não retira dele proveito e que a economia contraia (avaliada em ouro) precisamente nessas alturas seja apenas correlacionado mas não causal... é uma tese engraçada que me hás-de explicar =)

3. Sim, o padrão-açucar vigorou durante grande parte da história e é um padrão habitual nestes estudos... lol.
O Ouro sempre foi moeda por ter as 8 características boas para essa função (sabes: homogeneidade, divisibilidade, não perecibilidade, fácil transporte de grande valor, ... de cabeça não me lembro da lista toda).
Testei a prata e os resultados foram semelhantes (essa sim, uma alternativa viável!).
E já agora, com açúcar as conclusões nem era assim tão diferente. Aparentemente não acompanhas os preços dos exemplos que usas. Mas aparentemente não estudas o que dizes.

4. Os chineses e os indianos consomem cada vez mais. Claro que como a oferta não é suficientemente expansível, os preços aumentam. Que o teu único comentário a esta realidade seja chamar-lhes "estúpidos", revela mais sobre ti do que sobre eles.

Se tiveres alguma explicação para o que escreveste, estás à vontade.

|

De k. a 11 de Agosto de 2011 às 10:32
(e quem lixou a economia foi o greenspan, no mandato do bush I e do clinton, apesar de na altura ninguem se aperceber)

|

De jfd a 11 de Agosto de 2011 às 11:15
oh yeah!
o maior vilão dos tempos modernos!

|

De Ricardo Campelo de Magalhães a 15 de Agosto de 2011 às 01:17
Essa afirmação é forte e tem de ser justificada.
Eu digo desde já afirmo que discordo dela e que podes encontrar no meu Facebook a apresentação de defesa da tese onde poderás constatar o porquê dessa opinião (sou o único "Ricardo Campelo de Magalhães" no Facebook).

|

De Carlos a 11 de Agosto de 2011 às 11:09
Ave keyne ,

Tinha de haver um dia em que ia concordar contigo. Para mim é claro que as oscilações no dow derivam bem mais das posições do fed do que dos gastos desenfreados dos sucessivos governos americanos. Foi realmente Alan Greenspan que ao cumprir o mandato do Fed de pleno emprego e controlo de inflação , começou a inundar a economia de liquidez sempre que uma crise começava (crise asiática, default russo, dot.com , ...). Ora não só desceu as taxas de juro para níveis nunca antes vistos, contribuindo para a descida do dólar (e lá está para a subida do ouro, pq tb este é cotado em dólares), como exerceu grande influencia na desregulação de tudo o que é derivado.

|

De jfd a 11 de Agosto de 2011 às 11:16
Aleluiaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaa
Tinha de haver um dia em que estaríamos alinhados.

Só falta o input do Guilherme eheheheheh

|

De Ricardo Campelo de Magalhães a 15 de Agosto de 2011 às 01:19
Eu culpo os 2: Fed e Admins.
Política Monetária e Fiscal.
Se bem que no fundo são 2 faces da mesma moeda claro...

|

De Guilherme Diaz-Bérrio a 11 de Agosto de 2011 às 11:28
Gold bugs, sigh

"Correlação não implica causalidade". Subscrito. Lição nº1 que qualquer um devia aprender em Econometria.

E Greenspan... 1% rates. Foi uma das coisas que nos meteu neste sarilho.

|

De Ricardo Campelo de Magalhães a 15 de Agosto de 2011 às 01:23
Friedmanista duma figa =P

Até me espanta que não gostes da taxa de 1% do Greenspan. Logo tu, um adepto das políticas monetárias...

|

De jfd a 12 de Agosto de 2011 às 00:47
Só não digo que posso agora morrer feliz, pois quero viver mais anos, muitos mais ;))))

Pessoal que não sabe ontem foi o aniversário do Ricardo LOL

|

De Ricardo Campelo de Magalhães a 15 de Agosto de 2011 às 01:23
És um homem de gostos simples...

| |

De jfd a 15 de Agosto de 2011 às 01:29
Sou há quem teime em não perceber e ver entrelinhas em tudo o que escrevo e digo.
Mas dá prazer em falar com seres elevados como tu. Pois percebem que não é sobre eles mesmos mas sim sobre o assunto.

Quanto ao resto, amanha terás resposta que a esta hora já não dá.

Aproveito para recomendar o filme Limetless a todos. Mete politica especulação e uma droga que faz usar 100% da capacidade do cérebro. É lindo e muito bem realizado e fotografado!

|

De jfd a 15 de Agosto de 2011 às 08:52
Obrigado Ricardo por teres caído na ratoeira de Reagen e aqui fica o que mereces:

"Reagan was certainly a tax cutter legislatively, emotionally and ideologically. But for a variety of political reasons, it was hard for him to ignore the cost of his tax cuts," said tax historian Joseph Thorndike.

Two bills passed in 1982 and 1984 together "constituted the biggest tax increase ever enacted during peacetime," Thorndike said.

The bills didn't raise more revenue by hiking individual income tax rates though. Instead they did it largely through making it tougher to evade taxes, and through "base broadening" -- that is, reducing various federal tax breaks and closing tax loopholes.

For instance, more asset sales became taxable and tax-advantaged contributions and benefits under pension plans were further limited.

"What people forget about Ronald Reagan was that he very much converted to base broadening as a means of reducing deficits and as a means of tax reform," said Eugene Steuerle, an Institute Fellow at the Urban Institute who had helped lay the groundwork for tax reform in 1986 and served as a deputy assistant Treasury secretary during Reagan's second term.

There were other notable tax increases under Reagan.

In 1983, for example, he signed off on Social Security reform legislation that, among other things, accelerated an increase in the payroll tax rate, required that higher-income beneficiaries pay income tax on part of their benefits, and required the self-employed to pay the full payroll tax rate, rather than just the portion normally paid by employees.

The tax reform of 1986, meanwhile, wasn't designed to increase federal tax revenue. But that didn't mean that no one's taxes went up. Because the reform bill eliminated or reduced many tax breaks and shelters, high-income tax filers who previously paid little ended up with bigger tax bills.

"Some of these taxpayers were substantial contributors to the Republican Party and to the president's re-election campaign, and had direct access to the White House. Reagan rebuffed their pleas," wrote J. Roger Mentz, the Treasury assistant secretary for tax policy in 1986, in a Tax Notes commentary last year.

All told, the tax increases Reagan approved ended up canceling out much of the reduction in tax revenue that resulted from his 1981 legislation.

Annual federal tax receipts during his presidency averaged 18.2% of GDP, a smidge below the average under President Carter -- and a smidge above the 40-year average today.


http://money.cnn.com/2010/09/08/news/economy/reagan_years_taxes/index.htm

Uma coisa é o mito, outra é a verdade,

Obrigado.

|

De Ricardo Campelo de Magalhães a 16 de Agosto de 2011 às 00:32
Estou desiludido. Quando pensei que ias atacar o Ford como "liberal", vais e atacas o Reagan? Misseeeed it =P

Sei bem que esse malandro era mais da boca para fora. Mas para ter um grupo de liberais e um de Keynesianos tive de perdoar umas coisas.
E, não te esqueças que o índice dependia de 8 critérios e neles o Reagan estava mais ao menos bem classificado (3º em 8, acho: atrás de Clinton e Bush I). Se eu fosse rigoroso, eram todos uns Keynesianos inveterados =P
Repara: o melhorzinho foi o Clinton, um Democrata que só dizia asneiras tipo "Tive azar de não haver uma guerra na minha presidência" e que insistiu imenso no Plano de Saúde da mulher no 1º ano da Presidência.
No fundo, foram todos fracos. Reagan só foi menos maus que os outros.
E repito: se queres atacar a tese vai por Ford...

PS: Gosto quando TU, um Passista convicto, usas a palavra "Verdade", tão cara à Manuela ;)

|

De jfd a 15 de Agosto de 2011 às 08:53
Já agora sobre o filme que recomendei
http://www.imdb.com/title/tt1219289/plotsummary


Comentar post

Notícias
Psico-Social

Psico-Destaques
Psicóticos
Arquivo

Leituras
tags
Subscrever feeds
Disclaimer
1- As declarações aqui pres-tadas são da exclusiva respon-sabilidade do respectivo autor.
2 - O Psicolaranja não se responsabiliza pelas declarações de terceiros produzidas neste espaço de debate.
3 - Quaisquer declarações produzidas que constituam ou possam constituir crime de qualquer natureza ou que, por qualquer motivo, possam ser consideradas ofensivas ao bom nome ou integridade de alguém pertencente ou não a este Blog são da exclusiva responsabilida-de de quem as produz, reser-vando-se o Conselho Editorial do Psicolaranja o direito de eliminar o comentário no caso de tais declarações se traduzirem por si só ou por indiciação, na prática de um ilícito criminal ou de outra natureza.