Segunda-feira, 18 de Novembro de 2013
Interesse Público ≠ interesse do público

Portugal é no mínimo uma democracia muito imperfeita. Poder-se-ia dizer que Portugal é uma democracia acívica.

 

A actual crise económica é prova disso pois revela - de acordo com o paradigma do resultado das eleições legislativas de 2009 - que os cidadãos Portugueses não compreendem a essência do sistema democrático liberal no qual vivem:

 

 

 

1. As eleições não servem em Portugal para eleger quem os cidadãos acreditam ser o melhor partidário do interesse nacional mas sim para eleger quem o cidadão acredita beneficiá-lo pessoalmente, governando a curto-prazo. Sócrates não foi mais do que um Valentim Loureiro a nível nacional. Os seus micro-ondas foram os cheques-bébé, o TGV ou os aumentos (tácticos e dolosos) à função pública.

Em 2009, a maioria dos Portugueses tinha mais fé em Manuela Ferreira Leite para ser honesta do que em José Sócrates mas estes mesmos Portugueses não só elegeram como RE-elegeram Sócrates.

 

2. Na democracia Portuguesa, apenas há direitos e não deveres. Manifestações são o pão nosso de cada dia para reivindicar mais benesses governamentais, quer a economia o permita ou não.

 

3. Votar em eleições, um genérico mas talvez o mais importante DEVER cívico, é visto com absoluta indiferença. Metade dos Portugueses não vota ou vota em branco/nulo. Que justificação dá quem falta ao seu dever cívico? "Eles são todos iguais", "Não me revejo em nenhum destes políticos"...

A população Portuguesa é no fundo Sebastianista. Em vez de votarem no menor dos males, ficam à espera da vinda de Cristo à Terra... Os democratas Portugueses ficam escandalizados quando homens providenciais acabam por tomar o poder mas os Marqueses de Pombal e os Oliveiras Salazar não vêm do nada. A hipocrisia da população - e sim, falo da população, das massas, e não das elites, dos políticos ou de qualquer outro bode expiatório frequentemente oferecido para justificar a NOSSA irresponsabilidade como povo - torna-se pateticamente óbvia quando depois de se desresponsabilizar dos seus deveres cívicos, se queixa que os seus direitos cívicos são atropelados pelo governo.

Vejamos o caso do sistema de pensões: milhares reclamam que os cortes nas pensões são ilegais, inconstitucionais e feitos de má fé, porque são retroactivos. Mas quem estava lá para impedir que o governo se sobreendividasse de forma a pôr em perigo o sistema? Ou já agora, quem lá estava para insistir num sistema de poupanças capitalizadas individuais em vez de um sistema de financiamento corrente? Para isso não houve manifs...


Se as pessoas têm ideias diferentes e preferem outro tipo de governação, então é lá com elas pois todos somos livres para pensar pela nossa própria cabeça. Mas então tenham coragem para defender também, os problemas do sistema que advogam! Não pode ser hoje estarmos contra a capitalização porque dá poder aos porcos capitalistas e porque é injusta para quem não poupou, e amanhã estarmos contra o sistema de gestão corrente insustentável para os direitos adquiridos, que antes se havia defendido...

 

----------------------------------

 

Mas falo nisto tudo porque fiquei abismado com a última emissão do programa do Provedor do Telespectador da RTP.

O tema do último programa era futebol e como tal vários comentadores desportivos - pessoalmente teria vergonha de pôr tal título profissional no meu CV mas enfim - e cidadãos foram entrevistados a fim de perceber os limites exactos do futebol como interesse público.

 

Não fiquei abismado porque os entrevistados não faziam a mais pequena ideia do que significa 'interesse público' - as minhas expectativas em relação à população em geral e aos vultos intelectuais que são os 'comentadores desportivos' ('fofoqueiros da bola' seria um título mais adequado) já são bastante baixas - mas sim porque o próprio Provedor também não compreende algo tão básico para o seu cargo como seja a definição de 'interesse público'.

 

Passo a explicar: as mentes brilhantes que foram opinar - e no caso do Provedor, julgar - o que era interesse público, confundiram 'interesse público' com 'interesse do público'.

Vejamos um exemplo concreto: o serviço de meteorologia é de interesse público porque transmite a 10 milhões de pessoas uma informação importante para poderem gerir as suas vidas nos dias que se seguem. O escrutínio de leis passadas pelo Parlamento serve também o 'interesse público' pois permite aos cidadãos terem acesso a decisões políticas que têm impacto directo nas suas vidas. Todos os telejornais oferecem estes serviços e fazem muito bem.

No entanto, nem a meteorologia nem a política são particularmente do 'interesse do público'. Para isso, os telejornais transformaram-se em programas de entretenimento e transmitem novidades futebolísticas (e não meramente desportivas pois não trazem qualquer utilidade a quem pratica desporto) de cinema ou de música para complementar 'a parte chata' das notícias do dia.


No programa do Provedor, várias pessoas interrogavam-se que tipo de jogos de futebol era digno de ser transmitido pela TV pública: se apenas os jogos da selecção, se apenas os jogos mais importantes das equipas nacionais, etc.


Eu ajudo: NENHUM JOGO É DO INTERESSE PÚBLICO.

Porquê? É muito simples: nenhum cidadão Português tem necessidade de saber seja o que for sobre futebol para levar uma vida absolutamente normal. Nenhum cidadão tem qualquer necessidade de ouvir notícias de futebol para o poder jogar, ele próprio.

O futebol é apenas e somente ENTRETENIMENTO. Nem mais, nem menos.

 

Poderíamos discutir se vale a pena a TV pública transmitir entretenimento mas seria depois complicado justificar que tipo a ser escolhido para exibição.

 

E aqui está uma das causas da esclerose da democracia Portuguesa: os Portugueses não são democratas.

Se interesse público é sinónimo de popularidade, então deveríamos eleger Cristiano Ronaldo nas próximas eleições. Não tenho a menor dúvida de que terá uma muito maior popularidade que Cavaco Silva.

 

Se o Provedor da TV pública não é capaz de discernir entre 'interesse público' e capricho de massas, então porque o haveriam de fazer os políticos?

A função de um estadista não é dar às pessoas o que eles gostam mas sim o que necessitam.

 

Claro que enquanto estádios de futebol forem mais importantes que uma gestão eficaz do sistema de pensões, não sairemos da cepa torta...



uma psicose de Miguel Nunes Silva às 12:10
link directo | psicomentar | psicomentaram (2)

Quinta-feira, 21 de Abril de 2011
Campelo de Magalhães apresenta: o próximo 1º Ministro de Portugal

Para quem tenha dúvidas, aqui está a sondagem em que o PS já ultrapassou o PSD (enquanto PPC cai), ainda a campanha vai no adro.

Não tenham cuidado não. Eu, que sou sempre atento aos números, estou alarmado. 

Goste-se mais ou menos de PPC, é ele ou Sócrates. Está na hora de todos se lembrarem disso. Ou...



uma psicose de Ricardo Campelo de Magalhães às 00:10
link directo | psicomentar | psicomentaram (10)

Terça-feira, 19 de Abril de 2011
INGSOC - Ingenheiro Sócrates

A escolha das cabeças de listas do PS incluem 11 (onze!) membros do executivo que ainda abre elefantes brancos e que era tão mau que caiu por si.

Parece mau, mas piora: tem um deputado a quem foi levantada a imunidade parlamentar e que corre o risco de ser preso!

Os lugares são dados a quem mostrar o menor competência possível (faria sombra...) e demonstra maior fidelidade ao Big Brother.

É mau demais!!!



uma psicose de Ricardo Campelo de Magalhães às 01:28
link directo | psicomentar | psicomentaram (6)

Sábado, 9 de Abril de 2011
Aljazeera sobre Sócrates

Imaginem que Sócrates não controlava a comunicação social? Como seria?

Eu sei, eu sei, isso é inimagicável. Mas façam o esforço.

 

Hoje tive uma amostro do que seria.

Leiam por favor este artigo: Prime Minister, did you lie me?

Baseado na entrevista de Sócrates à Aljazeera aqui.

Incrível como temos de ir a um país árabe para ter um artigo que aqui seria apedrejado como "Pimba" e não sei se chegaria a ser publicado no "Sol"...

 

Vejam e revejam que vale a pena.

Nem que seja pelo Inglês Técnico do nosso PM :)



uma psicose de Ricardo Campelo de Magalhães às 10:25
link directo | psicomentar

Sexta-feira, 8 de Abril de 2011
Sócrates: Mais uma demonstração de carácter

Capa do Sol

Uma vergonha.

Sócrates brinda-nos com mais uma demonstração do seu estilo inconfundível.

É esta pessoa que há 30% dos Portugueses que querem a comandar o país.

Pergunto-me: O que é necessário que ele faça para que deixem de votar nele?

Que ele roube notas do bolso de alguém em directo? Que esfaqueie alguém? Desculpem, mas não sei mais o que ele tem de fazer para perder o voto de alguns Portugueses...



uma psicose de Ricardo Campelo de Magalhães às 06:13
link directo | psicomentar | psicomentaram (13)

Quinta-feira, 7 de Abril de 2011
"Luís, fico melhor assim, ou assado?"

Sejam muito bem-vindos aos bastidores de mais uma peça daquele teatrinho que José Sócrates tanto gosto tem em representar para o seu público de eleição - os portugueses. É uma verdadeira tragédia onde a situação que o país atravessa, as dificuldades que os portugueses enfrentam e a informação de que teremos de recorrer ao FMI são deixados para segundo plano, assumindo um papel manifestamente secundário... E é nesta infeliz encenação que ficamos esclarecidos quanto às verdadeiras preocupações e quanto às verdadeiras prioridades de José Sócrates que se resumem a ele próprio e à transmissão do melhor ângulo da sua cara para os portugueses. É a política da imagem no seu esplendor.

 

 

 

 


tags:

uma psicose de Catarina Rocha Ferreira às 04:10
link directo | psicomentar | psicomentaram (8)

Quarta-feira, 6 de Abril de 2011
PSD = Estado Social Possível ; PS = Falência

 

Em 2009 o PS prometeu mais e mais e mais Estado Social.

Já a Economia Mundial estava a contrair, Portugal anunciava mais gastos sociais.

 

MFL alertava: não há dinheiro, há que ser realista

Os Portugueses não a ouviram.

 

Agora, Faliu.

Hoje, fez bem: reconheceu humildemente que precisava de ajuda.

Mas o dia de hoje não aconteceu por acaso. Era previsível.

A minha avó sabe: quem gasta, gasta, gasta... entrega-se aos usuários.

Durante todo este tempo, fez mal: quem dá o que não tem, não terá para quando fizer falta.

 

Curiosamente, foi pouco tempo depois da banca ter fechado a torneira.

"Ah e tal, foi prova de que há um cartel na banca"

Bem, a banca gosta de receber juros. Mas se uma entidade deixa de conseguir pagar, é função da banca zelar pelo dinheiro dos aforradores. Já falhou antes e ainda bem que não voltou a falhar. Cartel? O alinhamento é por necessidade, não porque decidiram todos não ganhar dinheiro e, numa onda de falta de ganância, recusaram-se a cobrar juros "usuários".

 

E agora?

Hoje garantiu-se que não há ruptura de tesouraria.

Dentro de momentos seguem-se as medidas para começar a pagara dívida Socrática.

O sonho do "Estado Social" levou-nos a isto.

 



uma psicose de Ricardo Campelo de Magalhães às 22:04
link directo | psicomentar | psicomentaram (7)

Quinta-feira, 24 de Março de 2011
Polvo à Sócrates

(imagem com link)

 

Com a desgraça que se abateu sobre o país nos últimos anos (e que quer voltar!), RIR é o melhor remédio.

Então aqui fica: Polvo à Socrates.

É um povo low-cost, óptimo para enrascados, ou qualquer vítima dos diversos PECs.

 

Portugal não precisava destes PECs.

Se tivesse optado por uma Política de Verdade. Como foi pelo Oásis Rosa...

Agora, seja quem for o próximo 1º Ministro, vem aí o PEC4, o 5 e os que os Alemães quiserem.

Causa e consequência.

 

Como já conhecem o meu receituário, hoje publico o meu diagnóstico.

No  link a que acedem carregando na imagem está uma descrição que eu fiz, para Liberais Europeus verem, da crise que assola Portugal.

Quem ouviu Marques Mendes a apresentar o seu livro, reconhecerá a estrutura do post e as suas 4 crises.

Ele é óptimo na parte do diagnóstico (e no receituário político, a sua especialidade) e bebi inspiração dessa apresentação.

Aproveitei para os preparar para a música a concurso na Eurovisão (e pelos comentários por e-mail já ganhei para Portugal alguns votos).

Se tudo podia ser diferente. Poder, podia, mas é o país que temos.



uma psicose de Ricardo Campelo de Magalhães às 20:12
link directo | psicomentar | psicomentaram (7)

Quinta-feira, 10 de Março de 2011
Duelo de Credibilidade: Pinto da Costa Vs José Sócrates

Obrigações do FCP rendem a 2 anos pouco mais de 6%

http://www.euronext.com/trader/factsheet/factsheet-4412-EN-PTFCPDOM0009.html?selectedMep=5

 

Obrigações do Tesouro rendem a 2 anos 6.37%

http://aeiou.expresso.pt/divida-juros-a-2-e-3-anos-disparam=f636884

 

A quem vocês emprestavam mais depressa dinheiro?

Quem vocês acham mais credível?

 

Pois, os investidores internacionais também andam indecisos.

Neste momento, Pinto da Costa é mais credível.

Mas será que na próxima semana Sócrates contará com Merkel para recuperar a liderança?



uma psicose de Ricardo Campelo de Magalhães às 21:02
link directo | psicomentar | psicomentaram (4)

Sábado, 5 de Junho de 2010
Apologia de um tiro no pé

Crise. Luís Amado em vias de abandonar governo de Sócrates

Dizem que o melhor cargo no Governo português é o de Ministro dos Negócios Estrangeiros. Não por uma questão de conforto, pois não se adivinha que seja uma função particularmente propensa ao relaxamento, mas porque é uma que geralmente está escondida do olhar da opinião pública, devido à especificidade da função, e à forma de trabalhar da diplomacia portuguesa. Por outro lado, das poucas vezes que tem algum foco de atenção, costuma ser quando o líder do Governo se associa a uma vitória conseguida, dando um ar positivo às poucas aparições a que tem direito.

 

Pessoalmente, devo dizer que não sei se é por este factor, mas sempre tive uma ideia positiva de Luís Amado como um dos melhores Ministros de José Sócrates, não só pela sua capacidade, mas também pela sua competência e seriedade.

 

Não sei se é sintomático que ele queira agora - como, aparentemente, já quis no passado - sair do Governo, mas devo dizer que é com pena que o vejo partir, se estas notícias se confirmarem.


:
: Hungarian Dance No. 5 - Johannes Brahms

uma psicose de José Pedro Salgado às 13:40
link directo | psicomentar | psicomentaram (8)

Terça-feira, 27 de Outubro de 2009
NÃO!

 

 

José Sócrates Carvalho Pinto de Sousa não é um Príncipe Perfeito.

 

 

Sim, a sua comuncação com o povo é astuta, e algumas das suas medidas políticas até tiveram o seu quê de coragem e inteligência.

 

No entanto, um governo e o seu líder não respondem por algumas medidas mas pelo seu todo. Se Pombal apenas respondesse pela perseguição aos Távoras, ele hoje seria um monstro. Se ele apenas respondesse pela determinação pós terramoto, ele seria um herói. Daí que a avaliação de um governo exija equilíbrio. O 1º governo Sócrates foi, nesta avaliação, medíocre.

 

Muitas das reformas que prometeu não foram concretizadas e outras foram mal concretizadas (de que serve a imposição de uma avaliação aos professores se esta não é minimamente meritocrática?...). Isto já para nem falar das condições históricas de que este governo usufruiu para concretizar reformas.

 

É também falacioso falar de choques tecnológicos e energias renováveis quando tudo é feito à custa do endividamento público. Igualmente, a reforma da segurança social, como o endividamento, é apenas empurrar os problemas estruturais do país para a geração vindoura – com a agravante dos juros.

 

Neste novo governo, vemos porque Sócrates não é um bom príncipe. A escolha de Augusto Santos Silva para a pasta da defesa seria cómica se não fosse gritantemente irresponsável.

Um líder tem o direito de ser duro, exigente até mesmo cruel mas nunca displicente com o supremo interesse nacional. Atribuir a pasta da defesa, um ministério estratégico do estado, a uma pessoa sem experiência, sem qualificações e sem sentido de estado, é uma vergonha e é também revelador da partidarização do regime.

 

Aquilo que Sócrates não compreende é que o Estado vem antes do regime, e que só depois deste último é que vêm os partidos. O PM por outro lado, trata o governo como um feudo. Augusto Santos Silva é um primo da mesma linhagem aristocrática do PM, que foi desagradável para com a linhagem rival, quando o Duque Sócrates não podia ser. Agora, o primo Santos Silva é recompensado com um feudo próprio pois os seus serviços não podem ser desaproveitados. Pouco interessa se o agora conde Santos Silva tem competência de gestão do condado que lhe foi atribuído.

 

Augusto Santos Silva não é uma pessoa de diálogo e o facciosismo que transpira certamente impedirá que procure consensos em matérias sensíveis como a política de defesa ou mesmo a política externa, aonde o Ministério da Defesa também é importante.

 

Daí que, sem vincular o colectivo do blog, os signatários deste post repudiam esta nomeação, considerando que Augusto Santos Silva não tem as características políticas ou humanas, para dirigir as Forças Armadas Portuguesas.

 

 

Abaixo links para as iniciativas encetadas neste sentido:

 

Petição         http://www.peticao.com.pt/demissao-santos-silva

Causa FB    http://apps.facebook.com/causes/381482/2143486?m=7f359208

 

 

por Miguel Nunes Silva, Guilherme Diaz-Bérrio, Rui Cepeda e Paulo Colaço.

 



uma psicose de Miguel Nunes Silva às 10:12
link directo | psicomentar | psicomentaram (15)

Sábado, 3 de Outubro de 2009
Manifesto Anti "Comunicadores"

Muitos há que depois da derrota de Manuela Ferreira Leite nas legislativas do passado Setembro, defendem que ainda que a "mensagem estivesse correcta" a sua "comunicação" ao público Português falhou.

 

 

Não é preciso no entanto, falar no presente. Desde há muitos anos que muitos quadros social-democratas seguem embevecidos a ascenção política de Paulo Portas, admirando as suas capacidades de "comunicação".

Muitos há que defendem que no PSD, Portas há muito que teria chegado a PM.

Esses muitos porém, preferem esquecer-se do custo dos dons de oratória e retórica combinados com a dose certa de demagogia.

 

Por um lado a liderança carismática e unipessoal levou ao exílio de vários dissidentes (PND, desfiliações recentes) e por outro, o CDS é incapaz de substituir Portas e dele se encontra dependente.

Finalmente e mais importante, é fácil para Portas subir nas intenções de voto, defendendo baixas generalizadas de impostos, pulso firme na justiça e demais promessas estéreis.

 

O custo de recorrer a demagogos é a dependência política e o desgoverno irresponsável que deles decorre. É o cair nas políticas-projecto, no deslumbramento e megalomanias.

 

Não aos comunicadores!

 

Não aos populistas!

 

 

Que os Portugueses se libertem do seu reflexo pavloviano de bater palminhas a quem quer que lhes balance uma bugiganga brilhante à frente dos olhos.

 

Que os Portugueses se libertem do sebastianismo e imaturidade cívica que os impediu de escolher o possível em detrimento do sonho no passado dia 27 de Setembro.

 



uma psicose de Miguel Nunes Silva às 19:26
link directo | psicomentar | psicomentaram (10)

Quinta-feira, 30 de Julho de 2009
Cavaco tinha razão!

Os Estatutos dos Açores contêm normas inconstitucionais, segundo o Tribunal Constitucional, dando razão ao Presidente da República, no primeiro braço-de-ferro que teve com Sócrates e o PS.
 
No acórdão, os juízes deram razão a Cavaco Silva nas objecções quanto à audição dos órgãos de governo regional em caso de dissolução da Assembleia Legislativa Regional e marcação de datas de eleições e referendo regionais e quanto à impossibilidade de a revisão do estatuto ser feita pela Assembleia da República e apenas por proposta do Parlamento Regional.
 
Mais um golpe de face para o Eng. Sócrates que vê assim goradas as tentativas de colagem do PR ao PSD. Desta vez foi o Tribunal Constitucional a pôr travões ao autismo e à prepotência do Partido Socialista.


uma psicose de Margarida Balseiro Lopes às 18:35
link directo | psicomentar | psicomentaram (6)

Quinta-feira, 14 de Maio de 2009
Mariquiiiinhas, Mariquiiiinhas!!!

 

É definitivo! Para além de todos os outros defeitos que já lhe conhecemos, o Primeiro-Ministro deste país também tem um défice de capacidade para enfrentar os desafios naturais da profissão que exerce.

 

Não está a ser exagerado Paulo Rangel, quando diz que Sócrates "tem medo" de ir ao Parlamento. A verdade é que com a crescente combatividade que o líder parlamentar do PSD tem mostrado, o seu adversário tem tido a sorte de poder manter-se afastado e ter a liberdade de colocar a mão na cintura, aquele ar de ofendido no rosto e aquele tom inflamado na voz para poder bradar aos céus e clamar inocência.

 

Já na visita oficial que vai efectuar à Madeira, José Sócrates faz por não deixar nenhum pormenor descurado. Desde a força policial que leva do continente para o proteger até à ordem para encerrar, a partir das 21h30, a rua da escola que vai visitar amanhã ao meio dia, passando pela ordem para retirar os caixotes do lixo da área (!?!?)...

 

Oh Senhor Primeiro-Ministro, então acha que o povo madeirense não vai saber curvar-se perante si com o respeito que o senhor merece???


tags:

uma psicose de Bruno Ribeiro às 17:42
link directo | psicomentar | psicomentaram (49)

Domingo, 5 de Abril de 2009
A sério... Quando é que param com a campanha Negra? (:

O vice-presidente da bancada do PS, Ricardo Rodrigues, um dos cinco membros eleitos pela Assembleia da República para o Conselho Superior do Ministério Público (CSMP), sugeriu na reunião extraordinária de anteontem deste órgão que se instaurassem ali processos disciplinares a pelo menos um de dois magistrados: o recém-eleito presidente do Sindicato dos Magistrados do Ministério Público, João Palma, que denunciou a existência de pressões aos procuradores titulares do Freeport ou ao procurador-geral adjunto, Lopes da Mota, suspeito de ter exercido as pressões sobre os magistrados que investigam o licenciamento do outlet de Alcochete.

Este repto lançado por Ricardo Rodrigues foi interpretado por alguns dos presentes como uma espécie de ultimato vindo de um membro deste órgão que é também dirigente do PS. O deputado acabou, contudo, por votar com a maioria na decisão de abrir um inquérito para apurar a existência ou não das pressões, deixando os processos disciplinares para mais tarde. Mesmo assim, insistiu que a investigação tem que dar resultados. "Não podem ter todos razão e alguém tem que ser castigado", terá dito no CSMP. Contactado pelo
PÚBLICO, o vice-presidente da bancada do PS não quis comentar as posições tomadas no conselho.(...)


: lagrimas de crocodilo

uma psicose de jfd às 15:34
link directo | psicomentar | psicomentaram (2)

Sexta-feira, 3 de Abril de 2009
Mas é que não deixam o homem em paz! IRRA!

A empresa da mãe do primeiro-ministro, que está a ser investigada no âmbito do Freeport, surge envolvida num processo de corrupção na Câmara da Amadora, o qual abarca outras figuras relevantes do PS.

A equipa que está a investigar o caso Freeport suspeita que José Paulo Bernardo Pinto de Sousa, primo do primeiro-ministro, possa ser o parente que o arguido Charles Smith acusa de ter sido o receptor das ‘luvas’ alegadamente entregues a Sócrates para conseguir o licenciamento do projecto de Alcochete.

José Paulo Bernardo está também referenciado num outro processo, que desde 2001 corre no Departamento Central de Investigação e Acção Penal (DCIAP), onde se investigam indícios de tráfico de influências, corrupção, financiamento a partidos e branqueamento de capitais, e que tem como figura principal o actual presidente da Câmara da Amadora, Joaquim Raposo.(...)

http://sol.sapo.pt/PaginaInicial/Sociedade/Interior.aspx?content_id=131046

 



uma psicose de jfd às 17:40
link directo | psicomentar | psicomentaram (15)

Sábado, 28 de Março de 2009
El Padrino!

(...)«Este tipo, Sócrates, no final de Fevereiro, Março de 2002, estava no Governo. Era ministro do Ambiente. Ele é o tipo que aprovou este projecto. Ele aprovou na última semana do mandato, dos quatro anos. Em primeiro lugar, foi suspeito que ele o tenha aprovado no último dia do cargo... E não foi por dinheiro na altura, entende? Isto foi mesmo ser estúpido», alega Smith

(...)

O escocês afirma o que o dinheiro foi pago já depois da aprovação, para garantir a continuidade do projecto.

«Sócrates tem ligações em todo o lado, por isso é que as pessoas tinham receio de não pagar», explicou a Parkins.(...)

 

 

http://sol.sapo.pt/PaginaInicial/Politica/Interior.aspx?content_id=130391



uma psicose de jfd às 12:14
link directo | psicomentar | psicomentaram (22)

Sexta-feira, 20 de Março de 2009
Provedor de Justiça Renuncia vs Sócrates Embrulha

 

 

1- O título não é ingénuo. É que quero começar pela critica que tenho a fazer ao Provedor. O Provedor não é um politico e está, com esta conduta a fazer politica.

 

A última é que renuncia ao cargo se PS e PSD não se entenderem.

 

2- Mas que dizer do estado de coisas? Ontem na Quadratura do Circulo ouvi um grande debate sobre o Gentlemen´s Agreement. Ora nomeias tu, ora nomeio eu. ´Dizia António Costa, Ministro da Admi... Presidente da Câmara de Lisboa.

 

Pacheco Pereira dizia que isso não estava escrito. Nem sabia se existia.

 

Mas será que se esqueceu do seu próprio termómetro do situacionismo? P´ra que raio queremos nós, portugueses, saber do Gentlemen´s (ou no caso "GentlemAn´s" Comand) se não temos Provedor? E que Constituição é esta que para cargos de isenção, põe a Assembleia a eleger o Provedor e permite que o Primeiro Ministro diga que se o PSD não der acordo, o PS avança sózinho? Voltoa bater naquela tecla: será que ninguém vê que 1- Sendo os Deputados do PS quem votam na Assembleia e 2- Estando Sócrates na AR na qualidade de Primeiro Ministro, o líder do Governo não deveria falar ali pelo PS? Pelo Grupo Parlamentar. Que raios!

 

3- Existe uns outros Agreements que hão-de dar que falar. Mas para já ficaremos sem Provedor e com birrinhas dos papa cargos.



uma psicose de Tiago Sousa Dias às 23:05
link directo | psicomentar | psicomentaram (12)

Sexta-feira, 6 de Março de 2009
O que escondes Sócrates???

O grupo parlamentar do PS vai rejeitar a proposta do CDS/PP para a criação de um Conselho Consultivo da Caixa Geral de Depósitos.


Em declarações ao Económico, o coordenador dos deputados socialistas para a área económica explica que “esse mecanismo deve existir apenas para os bancos privados” e acrescenta que “pode até ser contraproducente no caso da sua aplicação a um banco público”.

Vitor Baptista sublinha que “o acompanhamento já é feito pela tutela”, que cabe ao Ministério das Finanças e, por isso, “não há necessidade de criar mais um órgão ou elemento intermédio entre quem gere e quem tem a tarefa de acompanhar”.

No debate desta tarde, as críticas do PS à proposta do CDS deverão ser acompanhadas também pelo Bloco de Esquerda, que considera que a criação deste Conselho poderia servir para o Governo se desculpabilizar por eventuais falhas na gestão do banco público. Já o PSD, embora não tenha ainda o sentido de voto definitivo, pondera apoiar a ideia do CDS/PP.


 

in http://economico.sapo.pt/noticias/ps-chumba-criacao-de-conselho-de-supervisao-da-cgd_5096.html

 

*Foi chumbado.

 


: Enganado

uma psicose de jfd às 21:49
link directo | psicomentar | psicomentaram (2)

Sábado, 21 de Fevereiro de 2009
Viva o Governo! Viva Sócrates!

 Numa análise à evolução dos principais indicadores económicos em Portugal e no resto da Europa desde que o executivo de José Sócrates tomou posse, conclui-se que o rendimento médio de cada português está actualmente mais longe da média europeia do que em 2005.

A tendência vinha desde 1999 mas agravou-se no último ano com uma descida recorde no Produto Interno Bruto (PIB) per capita de 2,5 pontos percentuais face à média da União Europeia.

Dados provisórios do Eurostat apontam para um crescimento do PIB em 2008 que fica 0,9 pontos percentuais abaixo da média comunitária, o que constitui uma diferença mínima face à evolução de 2004.

No que se refere ao trabalho, José Sócrates herdou o país com um desemprego abaixo da média europeia, que foi entretanto ultrapassada. Segundo o gabinete estatístico da Comissão Europeia, Portugal apresenta actualmente uma taxa de desemprego que fica 0,7 pontos percentuais acima da média dos 27.

Pela positiva, a produtividade de cada português aumentou 2,0 pontos percentuais desde 2004, mas continua longe da média comunitária.


in TSF (o destaque é de minha autoria)


:

uma psicose de jfd às 00:34
link directo | psicomentar | psicomentaram (3)

Sexta-feira, 13 de Fevereiro de 2009
Estímulo à Economia, versão Governo PS!

O Governo prometeu à Comissão Europeia aumentar os impostos em 2010 e 2011. A decomposição da receita fiscal, prevista no Plano de Estabilidade e Crescimento (PEC) aprovado no final de Janeiro no Parlamento e já entregue em Bruxelas, deixa claro que os impostos directos e indirectos vão aumentar nos próximos dois anos. Depois do alívio aplicado em 2009, a carga fiscal aumentará 0,3 pontos percentuais nos próximos dois anos. E, caso o PIB seja próximo dos 160 mil milhões de euros por ano, os portugueses pagarão mais 320 milhões de euros em impostos, em 2010.

in CM



uma psicose de jfd às 16:24
link directo | psicomentar | psicomentaram (3)

Terça-feira, 10 de Fevereiro de 2009
Sócrates é o máximo!

A Administração Fiscal vai acabar com o sigilo bancário aos contribuintes que evidenciem sinais exteriores de riqueza. A medida será introduzida durante este ano, como revela o Plano de Estabilidade e Crescimento (PEC) para 2008-2011 aprovado no Parlamento a 29 de Janeiro e já enviado à Comissão Europeia, e passa também pela cobrança imediata do imposto correspondente à riqueza exibida pelos contribuintes em imóveis ou carros quando o rendimento declarado não permita a aquisição do património em causa. (...)

 

in Correio da Manhã

 



uma psicose de jfd às 14:13
link directo | psicomentar | psicomentaram (11)

Segunda-feira, 2 de Fevereiro de 2009
Realmente, só pode ser uma cabala...

 Manuel Carlos Abrantes Pedro Nunes, o sócio português de Charles Smith na empresa Smith e Pedro - empresa suspeita de ter sido a intermediária no pagamento de luvas no negócio Freeport -, foi nomeado pelo Governo de António Guterres, em 2000, para assessor principal da Equipa da Missão para a Protecção e Gestão Ambiental das Salinas do Samouco (Alcochete).

 

* no Correio da Manhã de hoje, mas certamente em muitos mais amanhã.



uma psicose de jfd às 14:52
link directo | psicomentar | psicomentaram (3)

Domingo, 1 de Fevereiro de 2009
Pinócrates, by JSD

 

 

 



uma psicose de jfd às 11:49
link directo | psicomentar | psicomentaram (42)

Quarta-feira, 28 de Janeiro de 2009
Frente Nacional de Defesa a Sócrates

FREE(port) Sócrates!!!



uma psicose de jfd às 09:07
link directo | psicomentar | psicomentaram (16)

Segunda-feira, 5 de Janeiro de 2009
Amigos para sempre...

 04.01.2009 - 16h59 Lusa

O presidente da Câmara de Lisboa, António Costa, vai coordenar a moção de José Sócrates ao próximo congresso do PS, liderando uma equipa que se define como "força de unidade" na "esquerda democrática" e "preparada para governar".

Segundo fonte da direcção do PS, a moção de estratégia do secretário-geral socialista, José Sócrates, para o próximo congresso do partido - que se realizará entre 27 de Fevereiro e 01 de Março, em Espinho -, integra onze elementos.

Fazem parte da equipa de redacção da moção de José Sócrates cinco dirigentes que em 2004 apoiaram a candidatura de Manuel Alegre à liderança do PS: o líder parlamentar, Alberto Martins; o ministro dos Assuntos Parlamentares, Augusto Santos Silva; o secretário de Estado da Presidência, Jorge Lacão; e os deputados socialistas Osvaldo Castro e Vera Jardim.

Nos onze elementos estão também dois dos nomes do chamado "núcleo duro" da direcção socialista liderada por Ferro Rodrigues entre 2002 e 2004: o actual ministro do Trabalho e da Solidariedade, Vieira da Silva, e o ex-dirigente Pedro Adão e Silva.

Na equipa que redigirá a segunda moção de recandidatura de Sócrates à liderança do PS estão igualmente dois dos dirigentes de maior confiança do grupo político de José Sócrates: o ministro da Presidência, Pedro Silva Pereira (considerado o seu braço direito no Governo); e a eurodeputada socialista Edite Estrela. Como novidade na equipa da moção de Sócrates surge ainda o nome da sindicalista (e especialista em questões europeias) Helena André.(...)
 
Será que este vai ser um dos assunto a discutir logo de noite naquela que é a primeira entrevista do ano do Primeiro Ministro?

 

Será na SIC pelas 21h. Conduzida pelo José Gomes Ferreira e pelo Ricardo Costa.
Estarei nas aulas, é uma pena. Vou ter de ver em diferido.
Mas estou ansioso por saber, primeiro, se o 1º confirma a notícia da LUSA no Público, e 2º como se vão comportar os Jornalistas. Ambos com uma grande tarefa pela frente. Têm de representar toda a angústia do Povo em forma de questões de jeito e não deixar o PM fugir hábil e arrogantemente como sempre... 
 

 



uma psicose de jfd às 13:56
link directo | psicomentar | psicomentaram (2)

Notícias
Psico-Social

Psico-Destaques
Psicóticos
Arquivo

Leituras
tags
Subscrever feeds
Disclaimer
1- As declarações aqui pres-tadas são da exclusiva respon-sabilidade do respectivo autor.
2 - O Psicolaranja não se responsabiliza pelas declarações de terceiros produzidas neste espaço de debate.
3 - Quaisquer declarações produzidas que constituam ou possam constituir crime de qualquer natureza ou que, por qualquer motivo, possam ser consideradas ofensivas ao bom nome ou integridade de alguém pertencente ou não a este Blog são da exclusiva responsabilida-de de quem as produz, reser-vando-se o Conselho Editorial do Psicolaranja o direito de eliminar o comentário no caso de tais declarações se traduzirem por si só ou por indiciação, na prática de um ilícito criminal ou de outra natureza.