Terça-feira, 22 de Janeiro de 2013
Ok: isto, é ridículo

Cortes de cabelo na Dinamarca terão de custar o mesmo preço!

 

Por quase tudo um homem paga menos do que uma mulher.
Se a UE continuar com esta tendência...



uma psicose de Ricardo Campelo de Magalhães às 18:20
link directo | psicomentar | psicomentaram (2)

Segunda-feira, 15 de Março de 2010
Assim, sim.

 Os britânicos voltam a dar um exemplo bastante positivo no campo das políticas de igualdade. A Equality and Human Rights Comission aprovou a Equality Bill que diz, entre outros, que os ginásios que alertem as mulheres para o perigo de levantar pesos podem ser processados, pois estarão a insinuar que as mulheres não são tão fortes como os homens, o que poderá ser considerado discriminação sexual.

 
Outras acções previstas incluem o final das famosas "ladies night", também uma discriminação sexual, entre muitas outras discriminações relacionadas com, entre outros, racismo e xenofobia, assim como a orientação sexual de cada um.

Note-se que não sou a favor de qualquer tipo de políticas de igualdade mas, se é para tê-las, então que seja em todas as áreas, não apenas naquelas que determinado género aprecia. Assim: muito bem, Reino Unido. Quando é que tal é adoptado por cá?



uma psicose de nunodc às 10:49
link directo | psicomentar | psicomentaram (11)

Notícias
Psico-Social

Psico-Destaques
Psicóticos
Arquivo

Leituras
tags
Subscrever feeds
Disclaimer
1- As declarações aqui pres-tadas são da exclusiva respon-sabilidade do respectivo autor.
2 - O Psicolaranja não se responsabiliza pelas declarações de terceiros produzidas neste espaço de debate.
3 - Quaisquer declarações produzidas que constituam ou possam constituir crime de qualquer natureza ou que, por qualquer motivo, possam ser consideradas ofensivas ao bom nome ou integridade de alguém pertencente ou não a este Blog são da exclusiva responsabilida-de de quem as produz, reser-vando-se o Conselho Editorial do Psicolaranja o direito de eliminar o comentário no caso de tais declarações se traduzirem por si só ou por indiciação, na prática de um ilícito criminal ou de outra natureza.