Segunda-feira, 20 de Janeiro de 2014
Casa Pia não "enfraquece a sociedade"...

O senhor Braga da Cruz - ex-reitor da Universidade Católica - está muito preocupado que homossexuais possam legalmente adoptar crianças.

Diz ele que:

 

"A questão da co-adopção e adopção por homossexuais vai muito para além de saber quem pode ou não cuidar de uma criança,

tendo implicações civilizacionais"

 

"Nos últimos anos temos vindo a assistir a uma deliberada orientação política que visa debilitar a sociedade, em nome do reforço da liberdade individual.

Isso enfraquece a cidadania, enfraquece a sociedade civil e torna a sociedade facilmente manipulável por objectivos políticos.

Estamos perante uma questão que altera a ordem civilizacional em que temos vivido ao longo de milénios.

Não é coisa pouca, é uma questão muito importante que não pode ser decidida ligeiramente e apressadamente.”

 

 

Pois, realmente, posta desta maneira, trata-se de uma questão gravíssima...

 

Vamos começar por aqui: não o nego, penso que a adopção por uma família homossexual é menos do que perfeita e se possível preferiria que a adopção fosse feita por famílias heterossexuais com ambos os progenitores.

 

MAS

 

Ao contrário do senhor ex-reitor, eu sou capaz de ver o contexto que está mesmo à minha frente:

 

1 - a homossexualidade é prática proibida? Não. Logo é expectável que as novas gerações de crianças entrem em contacto com esta realidade cada vez mais cedo. Se não tiverem pais homossexuais, terão tios, primos, irmãos, etc. Então e estas práticas? Não mudam milénios de tradição?...;

 

2 - é a adopção por famílias homossexuais penalizada por lei? Não? Então o que o senhor ex-reitor está a dizer é que ele não está verdadeiramente contra a co-adopção per se - porque esta já existe - mas sim contra a co-adopção aberta e legislada...;

 

3 - também não percebo que "a ordem civilizacional em que temos vivido ao longo de milénios" tolere famílias monoparentais, avunculoparentais, fratriparentais, aviparentais, etc. mas não tolere famílias com pais homossexuais... É assim um desvio tão grande?...;

 

(e eis que chegamos ao ponto que mais me dana)

 

4 - Para o senhor ex-reitor, a co-adopção terá consequências civilizacionais mas aparentemente, famílias aonde os filhos levam tareia de meia-noite, são molestados, vivem na pobreza e na ignorância, essas não têm consequências civilizacionais... Não devem ter porque isso já ocorre há milénios e ainda estou para ver as tais consequências...

Para o senhor ex-reitor, é preferível um órfão ser educado em Casas Pias e ser sujeito a tudo o que isso acarreta, que ser educado numa família homossexual, porque afinal... as Casas Pias não enfraquecem a sociedade... e isto tudo, ainda por cima, numa altura de crise e austeridade, conjuntura que não se compadece com grandes gastos orçamentais com programas sociais.

 

 

Senhor ex-reitor, tenho uma palavra para si: 'PRIORIDADES' homem! 'PRIORIDADES'!!



uma psicose de Miguel Nunes Silva às 01:05
link directo | psicomentar

2 comentários:
De LaC.R a 26 de Janeiro de 2014 às 20:06
Se estivessem muito preocupados com as crianças que estão em orfanatos, o que devia ser feito era refletir se faz sentido um processo de adoção durar o tempo que dura atualmente.
Mas não é essa a preocupação de quem defende a coadoção/adoção plena por casais do mesmo sexo.

|

De Miguel Nunes Silva a 27 de Janeiro de 2014 às 00:00
Uma coisa não impede a outra mas há uma grande diferença entre as duas:

A co-adopção é facilmente legislável, uma reforma do sistema de adopção e de justiça demorará muito mais tempo e será muito mais complexo.

Obviamente ninguém põe em causa que deveria ser feita...

|

Comentar post

Notícias
Psico-Social

Psico-Destaques
Psicóticos
Arquivo

Leituras
tags
Subscrever feeds
Disclaimer
1- As declarações aqui pres-tadas são da exclusiva respon-sabilidade do respectivo autor.
2 - O Psicolaranja não se responsabiliza pelas declarações de terceiros produzidas neste espaço de debate.
3 - Quaisquer declarações produzidas que constituam ou possam constituir crime de qualquer natureza ou que, por qualquer motivo, possam ser consideradas ofensivas ao bom nome ou integridade de alguém pertencente ou não a este Blog são da exclusiva responsabilida-de de quem as produz, reser-vando-se o Conselho Editorial do Psicolaranja o direito de eliminar o comentário no caso de tais declarações se traduzirem por si só ou por indiciação, na prática de um ilícito criminal ou de outra natureza.