Segunda-feira, 28 de Junho de 2010
PsicoTertúlia pelo Porto

 

Foi na tarde de sábado que decorreu mais uma PsicoTertúlia com o tema "Era uma vez o PPD". Depois da tertúlia com Conceição Monteiro, o nível estava bem elevado. As expectativas de ouvir mais histórias da fundação do PPD e de conhecer um pouco melhor Sá Carneiro eram elevadas.

 

Ora, decorreu no Café Guarany, espaço muito agradável e bem na Avenida dos Aliados mais um momento delicioso de conversa. Com um Porto de Honra a abrir, quem se deslocou até ao referido café contou com duas pessoas de enorme valor e riqueza. Os oradores, Dr. Amândio de Azevedo e Dr. Ribeiro da Silva vieram com toda a vontade e alegria recordar momentos de enorme emoção. Com a moderação de João Paulo Meireles, a quem muito agradecemos, pois até deixou um casamento para vir moderar o debate, desfrutámos de uma conversa interessante e profícua. Os nossos oradores começaram por recordar cada um à sua maneira os tempos antes da fundação do PPD. Até chegarem claro ao fundador do Partido. Realçaram a enorme capacidade de Sá Carneiro em atrair os melhores e criar o entusiamo assim que falava. Pessoa de principios e de enorme correcção, sentia-se que tanto o Dr. Amândio, como o Dr. Ribeiro da Silva falavam emocionados de Sá Carneiro.

 

 

Lembraram ainda os tempos em que a JSD teve um importante papel como seguranças dos mais velhos. Apoiavam e estavam sempre na linha da frente. Lembraram Rui Rio, Menezes, Aguiar Branco e Agostinho Branquinho, ou não estivéssemos no Porto, e falaram da enorme dificuldade que sempre existiu no PSD. As lutas internas, os Congressos, os Conselhos Nacionais, as Opções inadiáveis, um sem número de histórias.

 

Falaram do PSD em contraponto com o PS. Tocaram no ponto! Sempre que existiram momentos de Revisão Constitucional, sempre foi o PSD a querer o avanço do País, com o PS a contabilizar ganhos e perdas eleitorais.

 

Os que ouviram perguntaram, questionaram os nossos convidados e só ficaram com pena de não ter durado a noite toda.

 

 

Quanto aos nossos oradores, deixaram uma mensagem de esperança aos presentes. Lutarem pelo que acreditam. Mas, sobretudo demonstraram que não estão de todo "acabados". Que enorme riqueza tem este PSD espalhada por todo o País. São pessoas destas que podemos e devemos aproveitar. Pessoas que conhecem as histórias, a génese, a origem do nosso Partido. Pessoas que devemos escutar com atenção.

 

Para o sucesso desta tertúlia, e com um tratamento cinco estrelas, importa sublinhar o trabalho exemplar da JSD Porto, na pessoa do João Paulo Meireles, da nossa Psicótica Catarina Rocha Ferreira, incansável e do nosso PsicoAmigo Luís Melo, de um apoio crucial.



uma psicose de Diogo Agostinho às 08:02
link directo | psicomentar

10 comentários:
De Luis Melo a 28 de Junho de 2010 às 11:21
Foi mais um excelente evento do Psicolaranja. Um fim de tarde bem passado, a ouvir dois dos poucos homens que seguiram de perto a fundação do PPD e que tiveram o privilégio de privar com Sá Carneiro.

Tocaram pontos muito importantes, principalmente o facto de (ao contrário do que muitos pensam) Sá Carneiro não ter tido vida fácil à frente do partido.

Alguns têm o hábito de - sempre que há eleições internas - dizerem "é agora que há uma cisão e que o partido acaba". Tem sido assim com LMM vs LFM, MFL vs PPC vs PSL e tantas outras.

A verdade é que sempre foi assim. Sempre houve vozes discordantes e pensamentos diferentes. O que é bom. Só assim poderemos escolher o melhor: tendo a visão dos dois lados (ou três).

Por isso é que o PSD é um partido realmente pluralista. Sempre conviveu com a opinião de todos. O único em Portugal. Nem no tempo de Cavaco (em que não houve guerras dentro do PSD) o sossego foi total (como por ex. acontece com Sócrates).

Bem, em relação à tertúlia, como disse no meu blogue "Muita coisa ficou por dizer, tal como na 1ª edição com Conceição Monteiro. O que não é necessáriamente mau… é motivo para fazermos a 3ª edição."

Agradeço as palavras do Diogo. Quero dizer-vos que "só fiz a minha parte". Incentivei os psicóticos a levar o evento para a frente, sugeri oradores, tratei de convidar um deles, e levei 5 pessoas para assistir (aquele nº do costume: "se cada um levar 5...")

Não fiz nada demais. Principalmente quando se trata de ajudar na organização de tão enriquecedores e interessantes eventos. Sabendo de antemão que não são só para "inglês ver" mas que terão consequência no futuro do partido e do país, na medida em que influenciam positivamente a forma de pensar e agir a quem eles assiste (principal/e os jovens)

|

De jfd a 28 de Junho de 2010 às 11:23
A verdade é que sempre foi assim. Sempre houve vozes discordantes e pensamentos diferentes. O que é bom. Só assim poderemos escolher o melhor: tendo a visão dos dois lados (ou três).

Por isso é que o PSD é um partido realmente pluralista. Sempre conviveu com a opinião de todos. O único em Portugal. Nem no tempo de Cavaco (em que não houve guerras dentro do PSD) o sossego foi total (como por ex. acontece com Sócrates).


Amém!
Atenção que no tempo do Cavaco a jota andava espevitada!

|

De Diogo Agostinho a 28 de Junho de 2010 às 11:25
Não são de todo para inglês ver, apesar do café Guarany ter tido alguns turistas curiosos na tarde de Sábado.

Foi de facto, mais um bom momento. A riqueza que temos entre nós é tão mal aproveitada. Faz falta ouvir estas pessoas.

O Dr. Amândio de Azevedo foi Ministro em 1983, o Dr. Ribeiro da Silva, Deputado e desempenhou o cargo de Governador Civil.

E quantos nomes não temos por aí? Espalhados e sem conseguirem deixar o seu testemunho? É mesmo uma experiência a repetir.

|

De jfd a 28 de Junho de 2010 às 11:27
Parabéns senhor AB

|

De Diogo Agostinho a 28 de Junho de 2010 às 11:30
Parabéns ao Psicolaranja. E um enorme agradecimento ao Luís e Catarina. E vamos querer mais.

Uma bela francesinha e a visita às rusgas foram um excelente momento para terminar a noite.

|

De jfd a 28 de Junho de 2010 às 11:31
Muito bem senhor AB, parabéns ao blog.
Afinal o blog não é um homem. Somos todos nós.

|

De Diogo Agostinho a 28 de Junho de 2010 às 11:39
E somos mesmo. Nada resulta sem o empenho de todos.


De João Paulo Meireles a 1 de Julho de 2010 às 15:06
Acho que o Porto, o Guarany e estas boas gentes gostaram muito...Efectivamente estes psicóticos são boa companhia..Pessoalmente tive pena de nao poder conviver um bocadinho mais mas concerteza haverá novas oportunidades e não digo isto por dizer : é que os ares do Porto fazem bem mas precisam de ser respirados algumas vezes por ano....Quanto às rusgas não ganhou a minha freguesia por isso estou sob protesto ..ehehe

Relativamente à tertúlia tivemos dois convidados com um percurso assinalável...pela sua dedicação e responsabilidades quer no Partido quer no exercício de cargos públicos..pela história de vida conturbada nos tempos em que Sá Carneiro despertava paixões mas também uns tantos ódios e invejas - ou pelo menos "potenciava acigarradas diferenças"...por serem pessoas de outros tempos cujo exemplo servirá de muito aos que hoje são mais jovens e por isso mesmo menos experientes.

Um debate rico em ideologia, valores mas que nem por isso deixou de ser pragmático. Tenho a impressão que se houvesse mais tempo ainda haveria mais algumas questões a colocar.. Talvez uma próxima vez ? Aliás até posso ter aqui uma sugestão que apresentarei brevemente ! ehehe


De Diogo Agostinho a 1 de Julho de 2010 às 15:13
Meu caro João,

Venha de lá essa sugestão. Estamos smpre prontos para novos desafios.


|

De jfd a 1 de Julho de 2010 às 15:16
Já está dito o que ia dizer ;)

|

Comentar post

Notícias
Psico-Social

Psico-Destaques
Psicóticos
Arquivo

Leituras
tags
Subscrever feeds
Disclaimer
1- As declarações aqui pres-tadas são da exclusiva respon-sabilidade do respectivo autor.
2 - O Psicolaranja não se responsabiliza pelas declarações de terceiros produzidas neste espaço de debate.
3 - Quaisquer declarações produzidas que constituam ou possam constituir crime de qualquer natureza ou que, por qualquer motivo, possam ser consideradas ofensivas ao bom nome ou integridade de alguém pertencente ou não a este Blog são da exclusiva responsabilida-de de quem as produz, reser-vando-se o Conselho Editorial do Psicolaranja o direito de eliminar o comentário no caso de tais declarações se traduzirem por si só ou por indiciação, na prática de um ilícito criminal ou de outra natureza.