Terça-feira, 30 de Setembro de 2008
Porque não?

 

A crise dos mercados financeiros está aí. Há mais de um ano que olhamos para lá do Atlântico com medo dos efeitos de um Tsunami financeiro. Sabiamos que a onda vinha aí, só agora a vemos e estaremos prontos a enfrenta-la?

 

Ora, pensei numa pequena ideia que com a vossa ajuda perceberei se poderia ajudar ou não.

 

O consumidor utilizador de cartão de crédito ou débito deveria ser o responsável pelo pagamento das taxas de utilização dos cartões.

 

Sei! Parece uma medida má que só aumenta os custos na carteira dos clientes e os mais prejudicados seria a classe média... errado.

 

O volume de negócios pago com cartão de crédito ou débito é gigantesco. Por exemplo na restauração, se fizermos uma jantarada com uns amigos e a conta for de € 200, cerca de € 5 do valor que o cliente paga servem para pagar taxa de utilização do cartão de crédito. Em principio pensa-se: "Se essa taxa fosse paga pelo cliente, este pagaria € 205 e não € 200. Seria € 5 mais cara e quem ficaria a ganhar era o Restaurante que recebia os € 200 em vez de € 195."

Nada mais errado. É que em bom rigor os prestadores deste serviço já têm os preços adequados ao pagamento da taxa para o que der e vier. Ora, actualmente o que sucede é que uma jantarada destas poderia custar € 195 e só custa € 200 por reflexo da taxa no preço sendo que tanto paga € 200 quem paga com cartão como quem paga em dinheiro.

Caso o imputável pelo pagamento da taxa fosse o cliente, certo é que este seria muito mais zeloso no pagamento das suas compras e evitaria a utilização de cartão que lhe encareceria o preço.

 

Ora, além desta vantagem imediata que evita a escalada dos preços em função deste efeito reflexo, não tenho dúvidas que a utilização de crédito associado aos cartões, tanto mais que a estes está muitas vezes associada aquela maravilhosa campanha "Nós pagamos até 10% das suas despesas da casa" (e nas letras tamanho 8 dizendo que apenas até ao limite de € 150/mês  e desde que gaste pelo menos 300€ a crédito com uma taxa de juro de 25%),decairia como por consequência diminuiria os encargos da familia com os juros de créditos, o que é dizer, contribuir-se-ía para a diminuição dos níveis de endividamento das familias.

 

Repito, quem sentiria mais esta diferença seria a classe média... pela positiva.



uma psicose de Tiago Sousa Dias às 17:11
link directo | psicomentar | psicomentaram (17)

Posso ser de Faro?

 

 

 

 

Esta senhora este Verão que passou presenteou-nos com um artigo deveras incomodativo.

 

Ora, senhora de valores vincados de esquerda, escreve semanalmente na Revista Única do Semanário Expresso. E esta senhora, defensora da igualdade, fez um artigo corrosivo contra o Prof. Cavaco Silva.

 

O artigo atacava, o facto do "Senhor Silva" ser de Boliqueime! Sim, ser algarvio!!!! ter estudado na província, ter tirado um curso, ter dado aulas, não ser dos corredores de cafés, teatros e fantochadas que esta senhora deve frequentar. Chegava mesmo a dizer que o Prof. Cavaco era um economista medíocre.

 

Ora será que nós algarvios de berço, que estudámos em Faro, no Liceu ou na Tomás, que depois tirámos um curso, não podemos ter cargos de relevo? Será que podemos ambicionar? Sonhar?

 

Para esta senhora não! Assim vai a igualdade na esquerda intelectual do nosso país...



uma psicose de Diogo Agostinho às 12:33
link directo | psicomentar | psicomentaram (10)

Meu querido professor

Estamos finalmente de acordo.

 

O SNS continua a padecer de um enorme défice de eficiência e de produtividade. Produz menos do que devia, com os recursos humanos e financeiros de que dispõe. Há capacidade instalada mas subutilizada; há redundância de meios em muitos aspectos; há gente a mais, a ganhar de mais para o que produz. Importa continuar a apostar na racionalização de meios, no aproveitamento da capacidade, na avaliação e remuneração pelo desempenho."


"Descontados os “custos de interesse geral” que o sobrecarregam, como as urgências, a formação profissional, a cobertura integral do território, etc. – que aliás devem entrar na equação do seu financiamento –, o SNS tem de ser competitivo com o sector privado quanto aos custos dos cuidados que presta. De outro modo, será preferível a sua contratação externa."


"(...)a verdade é que, com a implantação do SNS no terreno e o seu sucesso, o PSD acabou por se tornar seu defensor, contando-se alguns ministros da saúde seus, como Leonor Beleza, Paulo Mendo e Luís Filipe Pereira, entre os bons ministros da Saúde do país ao longo destes 30 anos."


Vital Moreira in Público



uma psicose de João Marques às 12:08
link directo | psicomentar | psicomentaram (3)

Qual é a porta?

O Plano de Salvamento financeiro, proposto pela Administração Bush, foi chumbado pela Câmara dos Representantes.

A maior oposição surgiu da bancada republicana, onde metade dos representantes votou contra.

A campanha de McCain acusa Obama de ser o responsável pelo chumbo do plano.

O resultado fez mergulhar o Dow Jones mais de 400 pontos.
 

E agora?


tags: ,

uma psicose de Margarida Balseiro Lopes às 03:06
link directo | psicomentar | psicomentaram (17)

Justamente o Jornal da Tarde...

 

A Entidade Reguladora para a Comunicação Social divulgou um relatório com os resultados da apreciação informativa da RTP no primeiro semestre de 2008.
 
“Em todos os blocos de informação – à excepção do Jornal da Tarde – a RTP corrigiu a sobre-representação do Governo e PS registada em 2007”, lê-se.
 
Citando o Público, “especialmente negativa" para a ERC foi a "sub-representação do PSD no Telejornal, no Jornal 2 e no bloco informativo das 24h00 da RTPN", nos quais também foi assinalada uma "sub-representação dos partidos sem representação parlamentar".
 
Já se perguntaram qual a razão que leva a RTP a não corrigir a clara tendência pró-Governo no Jornal da Tarde?


uma psicose de Paulo Colaço às 00:02
link directo | psicomentar | psicomentaram (8)

Segunda-feira, 29 de Setembro de 2008
Extrema Direita de volta...

 

"Os partidos de extrema-direita, de Heinz-Christian Strache e Jörg Haider, foram os únicos que conseguiram ganhar votos nas legislativas antecipadas de ontem. Os cenários de coligação começam agora a ser discutidos e não está excluído que, como em 2000, os radicais entrem no Governo." in DN.

 

E se em Portugal existisse um senhor Haider, com um discurso estruturado, com carisma e ideias claras, haveria espaço para crescer?

 

Ainda há espaço há direita em Portugal?

 

 



uma psicose de Diogo Agostinho às 14:27
link directo | psicomentar | psicomentaram (18)

Um lamento

« A colónia portuguesa estabelecida no Japão reduz-se hoje a dois funcionários (um ministro e um cônsul) e a algumas dezenas de macaenses e descendentes de macaenses, ocupando geralmente modestas posições em firmas estrangeiras. […]

Quanto a relações mercantis entre Portugal e o Japão, não passam elas ainda de meras tentativas, indolentemente mantidas e de êxito duvidoso. […]
Fomos um meteoro social. O que acontece é que, desinteressados do Japão, como de todo o Oriente, e acalmada a febre aventureira que nos criou lugar proeminente na vida mundial, pouco ou nada nos importa agora […] »
 
Este texto, “Os vestígios da passagem dos Portugueses pelo Japão”, foi escrito em 1925 por Venceslau de Moraes.
 
Quase um século depois destas linhas, elas mantêm-se actuais. Como eram actuais em pleno século XVII. É que, para nós, casos como o do Japão não são isolados: a Índia é outro caso de má relação e esquecimento.
 
Nem parece que temos uma história conjunta de trocas (conhecimentos, produtos e genes).
 
Portugal é mau gestor. Gerimos mal o ouro do Brasil, as especiarias do Oriente, as relações com África e, mal dos males, gerimos mal a Língua.
 
No dia em que o Brasil ratifica o Acordo Ortográfico, deixo aqui o meu lamento.


uma psicose de Paulo Colaço às 12:28
link directo | psicomentar | psicomentaram (11)

Sábado, 27 de Setembro de 2008
Bush, será Bush

 

Vejam neste pequeno video, como Bush mais uma vez manipulou os Americanos com o seu discurso. Mal ouvi o discurso, pensei nisto.

É só desgraças. E as semelhanças com o discurso de há anos são gritantes.

Enfim.

Continuam a dizer que é dos melhor Presidentes dos EUA e que a história virá para limpar o seu registo...

Palhaço.



uma psicose de jfd às 10:10
link directo | psicomentar | psicomentaram (9)

Sexta-feira, 26 de Setembro de 2008
Para descontrair...


uma psicose de Paulo Colaço às 19:45
link directo | psicomentar | psicomentaram (4)

Quinta-feira, 25 de Setembro de 2008
Aí está ele

Portugal está a investir na tecnologia, colocando-a à disposição das crianças.

 

Os programas “e.escolinha” e “e.escola” tornam, para a grande maioria dos alunos,muito mais simples o acesso a um computador e à Internet.

 

Isso deixa-me naturalmente satisfeita.

 

Mas  o que valem estas medidas de dita simplificação e democratização de recursos quando a sua tradução na vida das pessoas fica sempre muito longe do brilho das suas apresentações?

 

Valem, parece-me a mim, muito pouco.

 

Afinal e porque estamos a falar de alunos do 1º ciclo, os professores e os pais tiveram algum tipo de formação para trabalhar com o " Magalhães"?

 

Todas as escolas estão equipadas de forma a  permitir um trabalho sem constrangimentos com este computador, no contexto de sala da aula?

 

O "Magalhães" começou a ser distribuído dispondo de um controlo parental?

 

Não.

 

Sim,é bonito. E é para todos.

 

Mas para que serve?

 

Qual a sua relação com o programa escolar?

 

De que forma potencia nos alunos o desenvolvimento de técnicas de estudo e de aprendizagem?

 

Qual o seu papel na motivação dos alunos em aprender os conteúdos escolares?

 

Não sei.

 

Preocupo-me com este facilitismo embrulhado na mais requintada propaganda em que o Governo é especialista.

 

Preocupo-me com o preço, que nós gerações futuras, teremos de pagar por medidas que pela falta de meios e formação, nunca se conseguem assumir como um efectivo veículo de tranformação dos problemas existentes.

 

Preocupo-me.



uma psicose de Elisabete Oliveira às 15:51
link directo | psicomentar | psicomentaram (40)

Happy birthday NASA

A NASA celebra 50 anos.

Criada em Julho de 1958 pelo congresso norte-americano, entrou em funcionamento a 1 de Outubro.
A maior agência espacial do globo, com um orçamento de cerca de 17 biliões de dólares, é sinónimo de inovação, curiosidade e procura de respostas.
 Com um currículo tecnológico e científico ímpar, onde se destaca a conquista da Lua, as missões robóticas em Marte, a revolução da astronomia pelo telescópio espacial Hubble e os satélites que detectaram a mudança climática, a NASA continua a procurar novos mundos e novas respostas para as dúvidas do Ser Humano. Recentemente provou a existência de água em Marte.
Foi criada no período da guerra fria para competir com a Rússia na «corrida espacial». Hoje emprega cerca de 40000 pessoas por todos os EUA. Hoje é reconhecida em todo o mundo.
Dos seus maiores sucessos destacam-se os vaivéns espaciais. O Columbia foi o pioneiro, lançado a 12 de Abril de 1981, a partir do Cabo Canaveral, na Florida. Depois surgiram mais cinco: Enterprise, Challenger, Discovery, Atlantis e Endeavour. Todas estas naves foram concebidas de forma a serem reutilizadas.
Mas nem tudo correu bem. A Challenger explodiu momentos após a descolagem, a 28 de Janeiro de 1986, e a Columbia desintegrou-se, na atmosfera, a 1 de Fevereiro de 2003, quando regressava à Terra. Ambas transportavam sete astronautas.
Hoje a frota da agência espacial está a ser renovada. Os vaivéns Discovery, Endeavour e Atlantis devem terminar as suas actividades até Setembro de 2010. Depois disso, a NASA passará a usar um novo tipo de nave, parecido com a Apollo, que será lançado por um foguetão e será utilizado nas missões de exploração na Lua e em Marte.
Mas há dúvidas que permanecem. Apesar das grandes descobertas e do grande contributo da NASA para com a ciência, será realmente positivo o seu papel? Estou em crer que sim. Porém, a sua intervenção/utilização na, e pela, política norte-americana levanta poeira negra sobre o seu funcionamento.
Considero que no espírito da NASA está muito presente o sentimento português do tempo dos Descobrimentos: a procura de novos mundos, novas respostas, a satisfação da curiosidade humana. Mas será a NASA capaz de dar respostas ao mundo? É realmente importante o seu papel? Tem limites? A que preço?
Só o futuro o dirá, mas muito desse futuro passa pela NASA.
 
Parabéns NASA!


uma psicose de Carlos Carvalho às 12:07
link directo | psicomentar | psicomentaram (2)

And the winner should be...

Muitos dos que comentam as eleições americanas começam as suas opiniões dizendo "Se eu votasse nos E.U.A....", apontando de seguida o candidato da sua preferência.

 

Ora, precisamente pelo facto de estas pessoas não votarem para estas eleições, estes "votos" valem o que valem.

 

No entanto, a revista The Economist organizou uma sondagem a nível global para saber quem era o novo "Líder do Mundo Livre", se este tivesse algum dizer no assunto.

 

É tido em conta o peso dos diferentes países no xadrez mundial, tal como outros critérios explicados na página.

 

Quem será?



uma psicose de José Pedro Salgado às 05:14
link directo | psicomentar | psicomentaram (23)

Quarta-feira, 24 de Setembro de 2008
Crónica de uma morte anunciada???

Momento 0

Freddy Mac e Fanny Mae.

 

Momento 1º

14 de Setembro - Leham Brothers anuncia que vai pedir falência 613 mil milhões de dólares de dívida.
 
Momento 2º
14 de Setembro - Merryl Lynch aceita 15 mil milhões de dólares de compra de todas as acções pelo Bank of América.
 
Algo cheira mal na Banca de investimento...
Os investidores dizem que estas instituições estão carregadinhas de hipotecas tóxicas nos seus activos. Resultados de anos e anos de alavancagens feitas com hipotecas que, subindo na cadeia de valor, iam perdendo as suas origens duvidosas e melhorando miraculosamente o seu rating. Qual o modelo de investimento? GANÂNCIA! Aliás, ao puro estilo de um dos meus filmes favoritos, Wall Street, de Oliver Stone (1987), em que Gordon Gekko (Michael Douglas) tem a famosa deixa: Greed is good.
 
MAS! O Guilherme até tem razão. Quando se percebe que se pode arriscar e, dando asneira, alguém nos safa, perdemos a noção de risco. Ou seja, a ganância veio de Wall Street e também do Governo Federal. De Democratas a Republicanos, todos incentivaram empréstimos para todo o povo! Viva o capitalismo não é? Estamos a ver ;)
 
Momento 3º
16 de Setembro - O Governo Federal Americano avança com um empréstimo de 85 mil milhões de dólares à AIG, gigante mundial de seguros.
 
Ficando com 80% da seguradora com graves problemas de liquidez devido à queda abrupta dos seus activos e à exposição a 441 mil milhões de dólares em complexos credit default swaps com a nata das Instituições Financeiras Mundiais! O que são? Não interessa explicar, mas o Guilherme fará um comentário sobre isso. Nem a AIG sabia como os contabilizar correctamente nos seus balanços...
 
É o inicio da Socialização da divida Americana. A frase não é minha, com muita pena minha, pois é genial. Dizia um Senador, que a América privatiza os lucros das suas empresas em gordos bónus para os gestores, mas a sua má gestão é Socializada com o dinheiro dos contribuintes!
Gritante a meu ver! Não há solução fácil mas o caminho não é este. A bolha tem de rebentar. O mercado tem de sofrer. As pessoas têm de voltar a ter noção do que custa a ASNEIRA que se andava a fazer. Agradeço ao Guilherme ter-me ajudado a ver a luz ;) Mas não, não me tornei num porco capitalista.
 
Instala-se a confusão na mente dos investidores...
O Governo Federal deixa morrer a banca mas salva sem pestanejar a colossal seguradora... Começam logo protestos de Detroit (indústria automóvel calculem!) com desejos de bóia de salvação também.
O politicamente correcto de circunstância faz com que discursos apontem todos para a salvação de tudo o que é mais sagrado na América financeira, Wall Street. Todos concordam mas poucos sabem as consequências! Mais tarde se vem a perceber que afinal os planos que aí vêm não parecem assim tão sólidos e bem pensados!
 
Os EUA que sofrem por terem o Presidente que têm, vêem-se obrigados a ter de o esconder durante crise, que de tão mau que é, é melhor nem abrir a boca e os representantes do Governo são alguém em que se confia: o Secretário do Tesouro Henry Paulson e o Presidente da Reserva Federal Ben Bernanke. Graças a Deus Bush até agora, e no meio desta crise toda envia o melhor sinal possível para o mercado; estar longe da história e calado caladinho!!!
 
O Dow desceu segunda e terça, subiu quinta... Isto é mau. Está instalada a loucura no mercado, vende-se e compra-se à mínima noticia e isso pode servir de acendalha a algo muito pior. Catastrófico. Pior que isto, não há dinheiro para emprestar. Bancos não negoceiam com bancos, por medo de incumprimentos.
 
Momento 4º
19 de Setembro - Os salvadores da pátria, Paulson e Bernanke, lançam um plano para salvar todo o sistema financeiro Americano, hence o mundial! (decoupling anyone?!?! LOL!);
- 50 mil milhões de dólares para perdas em mercados monetários
- SEC bane o short selling em mais de 800 acções financeiras
- o grosso do plano é a compra de centenas de milhares de milhões de doláres de hipotecas que são detidas por imensas empresas em Wall Street ( parecido com o que aconteceu nos anos 80 com a Savings&Loans); tirando estas hipotecas tóxicas dos balanços destas empresas, o Governo Federal espera devolver a confiança no mercado e recomeçar o fluxo de crédito na economia...
 
Algo como isto nunca foi tentado!!!
A Bolsa sobe nessa Sexta... Como nunca na história! A semana acaba como começou. E assim se passa a semana numa montanha russa. Apenas o facto de estarmos tão perto da história, não nos dá a lucidez para ter a noção de quão grave é o que se passa à nossa volta. E ainda a procissão vai no adro....
Siga para bingo!
 
* com Guilherme Diaz-Bérrio, Business Week, Financial Times, The Economist
** revisão por AB

 



uma psicose de jfd às 16:25
link directo | psicomentar | psicomentaram (41)

Terça-feira, 23 de Setembro de 2008
O aumento da corrupção em Portugal

 

Portugal é actualmente um país mais corrupto do que era há cerca de um ano. Fazendo fé no "ranking" hoje divulgado pela Transparency International o nosso país caiu quatro posições, ocupando em 2008 o 32.º lugar, com 6,1 pontos (em dez possíveis).

 

Este estudo está infelizmente ferido, pela mais pura das verdades. É certo que devemos reflectir sobre as causas e o modo de combater o fenómeno, que nos envergonha a todos, perante os nossos parceiros europeus e o mundo. Mas permitam-me duas questões. O que dirá João Cravinho sobre este estudo? E o Governo de José Sócrates?

 

É que apesar de tantas linhas escritas e de outros quantos processos de intenção, nada parece resultar, perante a cada vez maior voracidade obscura de corromper, que nos empurra para um patamar civilizacional cada vez mais medíocre, à imagem de muitos dos que governam Portugal.



uma psicose de Luís Nogueira às 20:57
link directo | psicomentar | psicomentaram (4)

Bliberaloggers

 

 

Será votado, no próximo dia 25 de Setembro, no Parlamento Europeu um Relatório sobre Concentração e Pluralismo nos Meios de Comunicação Social na União Europeia. Considerações anti-Berlusconi à parte, este relatório sugere também que "se clarifique o estatuto dos blogues" e é este um dos pontos que mais poderá interessar aos Psico-leitores.
 
Pessoalmente, defendo que a blogosfera começa a carecer de legislação sob pena de poder vir a desacreditar-se. Imaginem uma auto-estrada onde cada um circula à velocidade que quer, no sentido que lhe apetece, dando "uns toques" nas viaturas à volta por divertimento e - pior ainda - ninguém tem matrícula nem carta de condução! Não é esta a auto-estrada da informação que queremos. Ou será?
 
Parece que nem todos são da mesma opinião e há já quem diga que este tipo de controlo não deverá ser imposto pelo regulador e sim pela própria comunidade. Eu até costumo ser a favor de se "deixar o mercado funcionar" mas que isso não signifique transformar o mercado numa partida de futebol de uma qualquer liga sul-americana...

 



uma psicose de Bruno Ribeiro às 16:03
link directo | psicomentar | psicomentaram (19)

As Chavez da recuperação económica

 

The law also gave the National Assembly the power to remove judges from the Supreme Court by simple majority, rather than the two-thirds majority required under the constitution."

 

"During student protests in May and June 2007, for example, the Directorate of Social Responsibility (the government body that investigates infractions of the law) warned stations about transmitting messages that incite hatred and law-breaking, and announced that the directorate was in permanent session monitoring media coverage of the protests."

 

"In March 2005 amendments to the Criminal Code came into force which extended the scope of Venezuela’s desacato (disrespect) laws, and increased penalties for criminal defamation and libel. At least eight journalists faced charges in 2007 for desacato, libel, defamation, and related offenses."

 

"An article of the 1999 Constitution which authorizes the National Electoral Commission (Comision Nacional Electoral, CNE) to organize trade union elections is a serious obstacle to freedom of association and collective bargaining rights. The Ministry of Labor has frequently denied unions the right to represent their workers because of delays in the authorization of elections."

 

Para que não nos esqueçamos que, para Sócrates, vale tudo.

"Magalhães e petróleo" são as novas regras douradas no PS, longe vai o tempo em que os direitos, liberdades e garantias eram uma das grandes bandeiras deste partido.

 

O relatório da Human Rights Watch em versão integral.



uma psicose de João Marques às 11:36
link directo | psicomentar | psicomentaram (5)

Segunda-feira, 22 de Setembro de 2008
Começamos bem...

Helena Lopes da Costa, antiga vereadora da Habitação de Santana Lopes, foi constituída arguida num processo de atribuição de habitação social.

Diz o DN que Santana já foi notificado no mesmo processo e “deverá também ser constituído arguido”.
Lopes da Costa estranha o facto: “Se eu tinha as competências para a entrega de habitação porque é que Pedro Santana Lopes é constituído arguido?".
A ex-autarca (agora Deputada) avança com uma suspeita: estará o caso associado ao facto de PSL se estar a perfilar para ser novamente candidato à da Câmara de Lisboa?
 
Desconheço os contornos do processo mas preocupa-me que a candidatura do PSD à principal Câmara do País esteja a ser falada nestes âmbitos…

 



uma psicose de Paulo Colaço às 18:56
link directo | psicomentar | psicomentaram (8)

Domingo, 21 de Setembro de 2008
É mesmo cada vez mais impossível EU não gostar destes dois!

 Acabou namoro com os media para a senhora. Agora só mesmo os loucos a maníacos. Para o senhor, recomeça a desgraça. Um dia diz uma coisa, outro dia diz que não disse. Enfim. Ele já renasceu de muitas, volto a dizer. Obama, volta a subir nas intenções. Está à frente em estados chave, mas foi sem paixão que se dirigiu aos Americanos em tempos de crise económica.

Esta semana vai ser marcante politicamente; vai definir a recta final até à votação!

Este casal é mesmo o máximo, eu avisei que isto ia ficar divertido, nunca tinha era imaginado o quanto!


:
: festival dos chocalhos no fundão

uma psicose de jfd às 20:48
link directo | psicomentar | psicomentaram (18)

Do que a JS precisa...

Sobre o casamento entre homossexuais.

 

-A JS critica a imposição da direcção da bancada socialista de chumbar as propostas do BE e dos Verdes, que permitiriam o casamento entre pessoas do mesmo sexo.

 

-Também assegura que quer a consagração do instituto do casamento alargado aos casais gays, porque diz tratar-se de uma questão de direitos fundamentais. A tal Igualdade.

 

-Acrescenta ainda que o facto de a proposta do casamento entre pessoas do mesmo sexo “não estar inscrita no programa [eleitoral] do PS de 2005 de forma alguma justifica um voto contra” às propostas do BE e do PS.

 

-A mesma JS critica também o Bloco de Esquerda e “os Verdes” por terem agendado a discussão dos diplomas sem antes terem assegurado um consenso na Assembleia da República que permitisse a sua aprovação.

 

-E, pasme-se, anuncia desistir de agendar a proposta de legalização do casamento entre homossexuais para esta legislatura.

 

Cada vez mais me orgulho da minha JSD.



uma psicose de Margarida Balseiro Lopes às 19:11
link directo | psicomentar | psicomentaram (16)

O nosso orgulho

 

 

Toda a gente sabe que o Psicolaranja é, por excelência, um espaço propício para o debate de ideias. Porém também há lugar ao reconhecimento e valorização do trabalho dos "nossos".

 

Claro que estou a falar da nossa Margarida que ontem assumiu a liderança da JSD Marinha Grande, há mais de 8 anos em inactividade.

 

Num tom mais pessoal, é um privilégio e uma honra tê-la como "madrinha política". Vem demonstrar força, trabalho, combatividade e, sobretudo, esperança no futuro. Afinal, no combate político nem tudo é desilusão.

 

Agora é tempo de seguir a marinha, porque o exército está fraco.



uma psicose de Inês Rocheta Cassiano às 19:00
link directo | psicomentar | psicomentaram (13)

Volta, Joe...

 Os tesouros da arqueologia nacional estão guardados nas antigas Oficinas Gerais de Material do Exército, onde nascerá o novo Museu dos Coches. As obras deveriam começar este mês, como está decidido há tempos.

Qual é o problema? Parece que os ministérios da Economia e Cultura não fazem a mínima ideia do destino a dar ao nosso mais importante espólio arqueológico...
 
Como já trabalhei em arqueologia, tenho seguido este assunto com interesse. Compete ao Estado encontrar espaço para expor, estudar e preservar estes bens. Defendo a existência de um museu próprio, com valências de exposição e investigação. Admito que não seja fácil. Mas sem interesse do Ministro da Cultura não será nem fácil nem difícil: será impossível.
 
E que tal vender-se tudo a Joe Berardo? Já vimos que a Cultura lhe faz as vontades todas num instante...


uma psicose de Paulo Colaço às 15:36
link directo | psicomentar | psicomentaram (1)

Sábado, 20 de Setembro de 2008
As setas do PSD - um texto de Pedro Roseta (Povo Livre 1975)

1. O nascimento de um símbolo

Tal como outros movimentos, também os partidos sociais-democratas adoptaram, desde início, diversos símbolos exteriores que pudessem, de forma rápida, sugestiva e uniforme, identificá-los perante o maior número de pessoas.
Assim, durante muitos anos, o Partido Social-Democrata Alemão serviu-se largamente de diversos símbolos, entre eles a bandeira encarnada e o cravo vermelho na lapela.
Mas um novo símbolo, forjado na luta contra o totalitarismo. estava destinado a sobrepor-se aos restantes.
A descoberta, em 1931, de um feroz programa de repressão que os nazistas pretendiam aplicar na Alemanha quando conquistassem o poder, através das famigeradas SA (Secções de Assalto), provocou grande agitação entre a população trabalhadora e o seu partido: o S.P.D. (Partido Social-Democrata Alemão).
Poucos dias depois, em Heidelberg, uma das muitas cruzes suásticas que já então os nazis reproduziam em grande quantidade nas paredes das cidades alemãs apareceu cortada por um traço grosso de giz branco.
Certamente algum trabalhador, cujo nome para sempre ficará ignorado, ao ver o símbolo odiado das forças totalitárias, não se pode conter e resolveu espontaneamente riscá-lo.
 
2. Significado do símbolo
Nascidas espontaneamente na luta dos militantes sociais-democratas contra o nazismo, as setas da social-democracia exprimiam muito bem a aliança entre as organizações dos trabalhadores reunidas na Frente de Bronze, a grande organização de luta anti-nazi criada pelo Partido Social-Democrata Alemão: o próprio Partido (SPD); os sindicatos; e a organização "Bandeira do Reich” com as organizações desportivas de trabalhadores. As setas simbolizavam, portanto, os três factores do movimento: o poder político e intelectual; a força económica e social; a força física. O seu paralelismo exprimia o pensamento da frente unida: tudo devia ser mobilizado contra o inimigo comum - o nazismo.
 
O símbolo das sociais-democracias espalhou-se depois largamente: era dinâmico e ofensivo, significava o avanço do Povo para um futuro novo e diferente. Traduzia bem, de acordo com o pensamento de Edward Bernstein, a importância fundamental do movimento, das conquistas sucessivas e progressivas realizadas por via democrática.
Lembrava aos sociais-democratas as qualidades fundamentais que lhes eram exigidas: a actividade, a disciplina e a união.
Ao símbolo do nosso Partido, as três setas, foram sucessivamente atribuídos outros significados que correspondem, na realidade, às linhas fundamentais do programa do PPD. As setas representam os valores fundamentais da Social-Democracia: a liberdade, a igualdade e a solidariedade; mostram que a democracia só existirá verdadeiramente se for simultaneamente política, económica e social.
Finalmente, as cores simbolizam movimentos e correntes de pensamento que contribuíram para a síntese ideológica e de acção da Social-Democracia: a negra, recorda os movimentos libertários do século passado, a vermelha, lembrando as lutas das classes trabalhadoras e dos seus movimentos de massa, e a branca, apontando os valores do homem, a tradição Cristã e humanista da Europa consubstanciada no Personalismo.
Em resumo, o símbolo do P.P.D. expressa bem a nossa vontade irreversível de ascensão, de caminhada com todos os Portugueses, para um futuro diferente, para a construção de uma sociedade nova, na Justiça e na Liberdade.
 
(1) S. Tchakhotine, “A mistificação das massas pela propaganda política”


uma psicose de Paulo Colaço às 16:11
link directo | psicomentar | psicomentaram (13)

Sexta-feira, 19 de Setembro de 2008
Eles fazem bem?

 

Amanhã realiza-se o primeiro debate da plataforma política de Passos Coelho com o tema "Produção, consumo e eficiência energética para a próxima década em Portugal".

 

A Dra. Manuela Ferreira Leite não irá, por questões de agenda. Fez bem?

 

E Passos Coelho? Faz bem em promover estes debates?

 

 



uma psicose de Diogo Agostinho às 11:13
link directo | psicomentar | psicomentaram (20)

Maricas pá!

Muito criticaram, riram, maldisseram e zombaram.

Para eles, a opinião pessoal de Manuela Ferreira Leite sobre os casamentos homossexuais era um retrocesso civilizacional.
 
Quem os via, de peito feito e tão moralmente superiores, acharia que aprovariam o casamento homossexual logo à primeira curva.
 
Pelos visto, a primeira curva apanha-os… curvados. O PS está de cócoras. Fruto da cobardia de um Primeiro-Ministro com medo de aprovar os projectos do BE e dos Verdes.
 
E, como se não bastasse, ainda vai tentar vedar a liberdade de voto aos seus deputados. Cobardolas.


uma psicose de Paulo Colaço às 03:59
link directo | psicomentar | psicomentaram (42)

Quinta-feira, 18 de Setembro de 2008
Porque é que eles não descem?

 

 

 

A BP aumentou hoje a gasolina em 1 cêntimo.

 
Quando comparamos o que acontece no mercado nacional com o resto da Europa, verificamos que cerca de 20 países da UE reduziram mais os preços dos combustíveis que Portugal.
 
O secretário-geral da Associação de petrolíferas, José Horta, explicou esta situação à Antena 1, garantindo que " as petrolíferas têm descido os preços,  mas os refinados não seguem sempre o crude. E diz ele, não temos visto descidas tão acentuadas nos refinados como no crude.
 
Com certeza. Mas surgem-me ,pelo menos, duas questões.
 
Se o preço praticado em Portugal é baseado na cotação dos combustíveis no Mercado Internacional, porque é que verificamos que as descidas em Portugal são das menores nos 27 países da União Europeia? 
 
Se a descida da cotação do crude  não influencia de forma linear e simultânea os preços dos combustíveis, porque é que acontece precisamente o contrário no mercado nacional, quando a sua cotação sobe?
 
Numa área que afecta de forma  determinante a vida de todos os portugueses,  porque é que este Governo se revela incapaz de nos garantir de forma clara e transparente que as regras do mercado funcionam?

 

A que interesses é que afinal responde?



uma psicose de Elisabete Oliveira às 15:53
link directo | psicomentar | psicomentaram (19)

Quarta-feira, 17 de Setembro de 2008
"A guerra” nas estradas portuguesas

 

Cento e sessenta e três pessoas morreram nas estradas portuguesas entre 15 de Julho e 15 de Setembro, mais três que em igual período do ano passado, revelou hoje a Autoridade Nacional de Segurança Rodoviária (ANSR).

 
Estes são dados sobre os quais devemos reflectir profundamente. Todos nós conhecemos alguns “ases” do volante e certamente, já cometemos ou conhecemos alguém que já tenha cometido infracções ao código da estrada, por mais pequenas que sejam.
 
Penso que não existe uma verdadeira política rodoviária em Portugal, pois a que existe, está alicerçada na repressão da multa por parte das autoridades, sobre os demais condutores. Contudo devemos questionar, se os portugueses são agressivos na sua condução? Ou serão as estradas que na sua generalidade não estão em condições?
 
E mais. Para quê comercializar um automóvel que atinge os 300km/h, se a velocidade máxima permitida por lei nas estradas é de 120 km/h? Afinal, resume-se tudo a uma questão de civismo ou estamos perante uma gigantesca hipocrisia?


uma psicose de Luís Nogueira às 21:22
link directo | psicomentar | psicomentaram (19)

E vivá Praxe!

 

Sou um adepto da praxe. Sempre fui.
Adorei ser praxado e assumi, com grande responsabilidade (e muita farra à mistura), o meu papel de veterano.
E sempre condenei a má praxe. Aquela que segrega, que humilha, que destrói os fundamentos da recepção a nossos colegas, futuros amigos.
Costumava eu dizer “a praxe é uma simulação de autoridade, entre quem imagina que manda e quem finge que obedece”.
É esse, creio, o espírito da maioria. O pior são as ovelhas negras. Aquelas que estão sempre prontas para distorcer o melhor conceito. Há-as em todo o lado.
 
Mas há também boas ideias.
No próximo 1 de Outubro, os caloiros da Faculdade de Medicina de Lisboa vão andar pelo Rossio a angariar dadores de medula óssea. Será uma das suas praxes, para além das outras mais tradicionais.
É uma iniciativa dos alunos do 6º ano que gostariam de a ver clonada noutras faculdades.
Eu também.
 

E vivá Praxe!



uma psicose de Paulo Colaço às 18:50
link directo | psicomentar | psicomentaram (11)

Transportes Aéreos para os Açores: um mau modelo

 

 

Contribuição do Prof. Mário Fortuna para a reflexão no Psico sobre o preço dos transportes aéreos dos Açores

 

Um passageiro residente dos Açores paga, actualmente (Setembro de 2008), ao abrigo da concessão de serviço público, 293 euros por uma passagem de ida e volta para o continente. O Estado suporta, ainda, mais 87 euros. As companhias aéreas arrecadam 380 euros por passagem completa, sem condicionantes. O passageiro residente não tem opções porque o preço é fixo. Pode apenas reduzir ligeiramente o seu custo total se reservar e pagar a passagem, directamente, via internet ou através do call center da Sata. Nunca foi possível a qualquer residente comprar um bilhete pelo preço estabelecido no concurso, devido à taxa de emissão do bilhete.
Mesmo assim, este não será um bilhete caro, em termos comparativos, para um serviço de características similares. Vale para qualquer dia da semana, a reserva pode ser feita a qualquer momento e sujeita a qualquer alteração, quantas vezes o passageiro pretender. Bilhetes com estas características são sempre caros. Basta fazer um exercício de comparação com o que acontece mesmo nos percursos mais concorrenciais.
Qual o problema então? O problema está exactamente na rigidez do modelo que não permite ou não tem proporcionado a multiplicidade de outras opções que, normalmente, existem para quem tem disponibilidade para planear as suas viagens e consegue gerir os dias da semana em que viaja.
O serviço público, no caso dos Açores, vem associado a uma rigidez total que só beneficia um número limitado de utentes.
É, pelo exposto, necessário flexibilizar com um novo modelo.
É imperioso, também, acabar com o mecanismo da taxa de emissão do bilhete: deve comprar serviços adicionais apenas quem quer.
Pouco transparente é, também, o mecanismo usado para imputar a taxa de combustível. Não é claro como funciona e já aconteceu as duas empresas que operam a rota dos Açores utilizarem, na mesma altura, para a mesma concessão, critérios diferentes.
É inquestionável que o preço dos combustíveis deve impor ajustamentos, para cima e para baixo. Estes, no entanto, devem ser totalmente transparentes para o utente – não são. Por isso o modelo deve ser alterado.
Finalmente, o modelo actual de concessão contempla cinco “gateways” para os Açores, num só pacote. É uma imposição onerosa que levou, naturalmente, à constituição de um monopólio de facto, circunstância indesejável que só veio prejudicar o bem-estar geral.
Tudo somado, pode dizer-se que o actual modelo é opaco, ineficiente e rígido, traduzindo-se em preços elevados para os residentes e não residentes, prejudicando a competitividade dos Açores e o bem-estar dos seus residentes.
Nestas circunstâncias impõe-se mudar o modelo, para o bem dos cidadãos.

 

 

Autor: Prof. Mário Fortuna



uma psicose de PsicoConvidado às 12:41
link directo | psicomentar | psicomentaram (9)

Terça-feira, 16 de Setembro de 2008
Jogging falhado

 

O PS quer obrigar os emigrantes portugueses a votar presencialmente nas próximas legislativas, pondo fim ao voto por correspondência. Em causa está a forma de eleição de 4 deputados.
 
Manuela Ferreira Leite é contra: “Quando se mexeu na lei eleitoral foi para alargar o voto aos emigrantes e nunca para restringir”, afirmou. E acusa: “O voto por correspondência é o triplo do presencial pelo que só pode haver objectivos políticos”.
 
O PS anda mesmo com medo. Talvez as patéticas corridinhas socráticas nas visitas ao estrangeiro não tenham dado ao PM grande resultado junto da diáspora…


uma psicose de Paulo Colaço às 17:33
link directo | psicomentar | psicomentaram (12)

De Regresso?

 

 

Marques Mendes irá apresentar no próximo dia 25 de Setembro um livro sobre as suas reflexões para o País.

 

É um regresso à política? Está de volta?

 



uma psicose de Diogo Agostinho às 09:48
link directo | psicomentar | psicomentaram (21)

Porque hoje fazemos anos... III

A imagem do nosso primeiro post...

 

O cartaz da nossa última moção...

 

O nome e logo que podíamos ter tido...

 

E a inspiração para o nosso logo...



uma psicose de Paulo Colaço às 00:05
link directo | psicomentar | psicomentaram (13)

Porque hoje fazemos anos... II

 
Os Oradores
Agostinho Branquinho, Deputado
Ana Sofia Bettencourt, Presidente PSD/Algueirão-Mem Martins
Carlos Filipe Mendonça, Jornalista
Claudio Almeida, Presidente JSD/Açores
Jaime Neves, Coronel na Reserva
Joaquim Machado, PSD/Açores
José Pacheco Pereira, Comentador Político
Luís Campos Ferreira, Deputado
Luís Paixão Martins, LPMCOM
Luís Rodrigues, Deputado
Macário Correia, Presidente CM Tavira
Mário Fortuna, Docente Universitário
Mónica Ferro, Docente Universitária
Morais Sarmento, Advogado
Nelson Faria, Presidente Secção B/JSD
Nuno Matias, Presidente CPD-JSD/Setúbal
Octávio Ribeiro, Director Correio da Manhã
Pedro Pinto, Deputado
Pedro Rodrigues, Presidente da JSD
Ribau Esteves, Presidente CM Ílhavo
Rodrigo Moita de Deus, Jornalista/Escritor
Vasco Rato, Docente Universitário
Zita Seabra, Deputada
 
Os Moderadores
Carlos Enes, Jornalista da TVI
Inês Serra Lopes, Directora do Semanário Económico
Nuno Matias, Presidente CPD-JSD/Setúbal
Pedro Correia, Jornalista do DN
Sertório Barona, Advogado


uma psicose de Paulo Colaço às 00:04
link directo | psicomentar | psicomentaram (5)

Porque hoje fazemos anos... I

Os cartazes dos Psico-Eventos:

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 



uma psicose de Paulo Colaço às 00:03
link directo | psicomentar | psicomentaram (5)

Segunda-feira, 15 de Setembro de 2008
Déjà vu?

 

"Situação da economia americana não afectará Portugal" - Manuel Pinho.

 

Faz lembrar uma declaração parecida há pouco tempo atrás, quando se dizia que a crise do subprime não nos iria afectar... 



uma psicose de João Marques às 21:08
link directo | psicomentar | psicomentaram (14)

Reflexão para o dia seguinte...
Hoje há eleições na Distrital de Lisboa da JSD.
Já não sou jota. Tenho amigos dos dois lados da barricada.
Todos têm o mesmo combustível, o gosto pela Jota, o gosto pelo PSD, pelo País.
Têm sido dias difíceis por muitas secções e na cabeça de muitos delegados.
Há muito jogo, cacique, interesse, falta de transparência.
O jogo político agrada-me. É interessante. Mas tem regras. Tem um código de conduta. Há honra, há moral, há barreiras que não se atravessam. Pelo menos para alguns.
No meio disto tudo, que não se percam aqueles que verdadeiramente lutam e estão pelos seus ideais. Que são justos e honestos nas suas crenças e em quem apoiam, e que têm todos um objectivo comum; um maior e melhor Partido.
A eleição já não vale apenas pela eleição. Vale pelos apoios que estão de cada lado. Por quem dinamiza candidaturas, por quem financia, por quem é o master pupetter. Pelos danos colaterais que se pretender obter...
 
Será que eleições directas, resolveriam esta promiscuidade que acompanha sempre um processo destes, evitando que se coloquem na margem todo um potencial de militantes jota? A jota é a mina de ouro do PSD. Sempre digo "Jota és, PSD serás!".

: expectante
: hino da jota

uma psicose de jfd às 12:19
link directo | psicomentar | psicomentaram (68)

Here comes the sun

 

Duas semanas depois da UV 2006 nascia o Psicolaranja.

A 16 de Setembro, no mesmo dia do seu primeiro post, as bancas de jornais vendiam o primeiro número de um novo semanário: o Sol.

Um jornal dirigido por um arquitecto: José António Saraiva.

Veio para ocupar o lugar do Expresso.

Pergunto: o que terá trazido de novo este novo jornal?

Mudou algo na imprensa? É melhor ou pior que o Expresso?



uma psicose de Paulo Colaço às 03:10
link directo | psicomentar | psicomentaram (15)

Domingo, 14 de Setembro de 2008
E o Conan dizia:"Crise? Qual crise?..."

Fui passar uns dias ao outro lado da península.

 

Parti de Santarém e, até Vilar Formoso fiz 283 kms.

 

Naturalmente, voltei. Fiz novamente os tais 283 kms.

 

Total de quilometragem em Portugal: 566 kms

 

Preço total da portagem: 4,20€ - o correspondente aos 68 kms de A1.

 

E ainda há quem diga que o país está em crise...



uma psicose de José Pedro Salgado às 18:11
link directo | psicomentar | psicomentaram (12)

E a espécie humana?!?!

«Não podemos pensar que a conservação da natureza é um obstáculo ao desenvolvimento humano», defendeu o presidente apelando a uma maior abertura dos responsáveis institucionais para o diálogo.

«Os poderes públicos têm de mostrar uma abertura muito especial para o diálogo e para as explicações», sublinhou.

Para o chefe de Estado, este «é o desafio a que os departamentos públicos da Conservação da Natureza e da Biodiversidade vão ter de dar uma atenção muito grande».

O ministro do Ambiente, Nunes Correia, que acompanha o chefe de Estado nesta visita, garantiu que «esta conciliação é precisamente uma das preocupações fundamentais» da política de conservação.

«Julgo que há muitos progressos que estão a ser feitos e as orientações aos serviços são para a abertura às populações e aos autarcas».

O ministro frisou que «é evidente que tem de haver alguma restrições, mas é possível compatibilizar e fazer da Conservação da Natureza um alavanca para o desenvolvimento».

Cavaco Silva elogiou a «riqueza natural» que é o Douro Internacional, considerado o «Grand Canyon da Península Ibérica», com uma paisagem, fauna e flora únicas e em estado absolutamente selvagem nalgumas zonas.

O que não pode significar a preservação destas riquezas para o presidente da República «é o esquecimento da espécie humana».

«Estou convencido que a espécie humana pode melhorar a sua condição ao lado da preservação da Águia Real», comparou.

«O grande problema é como conciliar a preservação e conservação da natureza com a melhoria das condições de vida da população e a criação de empregos», reiterou.

in http://sol.sapo.pt/PaginaInicial/Politica/Interior.aspx?content_id=109160

 

Não pude deixar de ler estes pedaços da intervenção do nosso PR com uma grande alegria. Por duas razões. Porque se assume a posição, que para mim é de vanguarda, e porque não é de extremos. Aguardo pelo discurso completo em www.presidencia.pt. Definitivamente hoje estou num dia Cavaco :)


: Cavaquista!

uma psicose de jfd às 16:50
link directo | psicomentar | psicomentaram (4)

Impossível não gostar de McCain


: engraçadinho ;)
: she's a lady!

uma psicose de jfd às 14:43
link directo | psicomentar | psicomentaram (10)

Coligação!

Fiquei espantado com a análise dos acontecimentos de Carlos Magno & companhia, no programa Contraditório da Antena 1.

Segundo o mesmo, Cavaco Silva e Manuela Ferreira Leite estão em coligação para o derrube deste Governo Socialista. Cavaco Silva já se terá apercebido do fim do prazo de validade de Sócrates, e finalmente há alguém no PSD com quem Cavaco pode contar. Daí as últimas acções por parte do nosso PR; quem imaginaria a troca de argumentos com o Ministro da Administração Interna.
Fez-se-me luz. Não veio de dentro, mas veio de fora. Mas pronto, fez-se luz!
É excelente para a nossa Presidente. Mas poderá ser muito danoso para o nosso Presidente, pois a esquerda poder-se-á unir para combater proximamente este Primeiro Ministro sombra, como continuaram divagando no programa referido... Será caso para se dizer que se tratará de um derradeiro sacrifico político a bem da Nação? A bem do PSD? Como poderá o PS contra atacar?
Cavaco Silva nunca me enganou; Grande Presidente da República, não dá ponto sem nó!!!

: esperançado!
: Paz Pão!

uma psicose de jfd às 14:13
link directo | psicomentar | psicomentaram (12)

Notícias
Psico-Social

Psico-Destaques
Psicóticos
Arquivo

Leituras
tags
Subscrever feeds
Disclaimer
1- As declarações aqui pres-tadas são da exclusiva respon-sabilidade do respectivo autor.
2 - O Psicolaranja não se responsabiliza pelas declarações de terceiros produzidas neste espaço de debate.
3 - Quaisquer declarações produzidas que constituam ou possam constituir crime de qualquer natureza ou que, por qualquer motivo, possam ser consideradas ofensivas ao bom nome ou integridade de alguém pertencente ou não a este Blog são da exclusiva responsabilida-de de quem as produz, reser-vando-se o Conselho Editorial do Psicolaranja o direito de eliminar o comentário no caso de tais declarações se traduzirem por si só ou por indiciação, na prática de um ilícito criminal ou de outra natureza.