Sábado, 31 de Março de 2007
Ser ou não ser engenheiro - eis a questão.

'José Sócrates concluiu o curso na Universidade Independente num Domingo. O processo académico é bizarro', in Expresso.


uma psicose de Inês Rocheta Cassiano às 13:12
link directo | psicomentar | psicomentaram (12)

Quarta-feira, 28 de Março de 2007
Slow Down

A Slow Food é uma organização que nasceu em 1986 na Itália com a fundação da Arcigola, um grupo de protesto anti-globalização que visava impedir a construção de um restaurante McDonald's na Piazza di Spagna em Roma.

Advoga a preservação da cultura gastronómica dos países na sua forma mais tradicional e natural possível, opondo-se assim, como o próprio nome indica, à proliferação da fast-food.

A filosofia que preside a este movimento é relativamente simples: todo o ser humano tem o direito fundamental e inalienável de saborear a sua comida e portanto o dever de proteger a herança, cultura e tradição gastronómica que permite esse prazer.

Mas não termina por aqui.
Como elucida o manifesto do movimento, a vida rápida que se vive hoje em dia está a contribuir para a destruição do Homem, pelo que este prazer da refeição deve, para o bem da Humanidade, ser apreciado com delonga.

E para quem pensar que esta cambada de malucos não vai longe, espante-se: já foram!

Actualmente existem diversos movimentos "irmãos" que aplicam a mesma filosofia de Direito Inalienável de parar-para-cheirar-as-rosas a outros campos, constituindo o chamado Slow Movement.

De facto, actualmente já existem também: o Slow Travel, o Slow Cities, o Slow Schools, o Slow Books, o Slow Living e até o Slow Money. Todos defendendo que, nas mais diversas circunstâncias da vida, devemos desfrutar de tudo o que fazemos, sem pressa.

Finalmente, há que dizer que os adeptos do Slow não advogam a inacção.
Advogam sim uma ponderação das prioridades que hoje nos guiam de forma a pesar bem até que ponto é que maior actividade se traduz em melhor vida, permitindo esta poderação uma mais eficiente distribuição de tarefas. Mas uma de cada vez.

Sinceramente, passamos a vida a correr. Mas a correr contra quem? Será que a vida não é uma meta em si mesma?


uma psicose de José Pedro Salgado às 23:07
link directo | psicomentar | psicomentaram (6)

Segunda-feira, 26 de Março de 2007
E o melhor português de sempre é...

... António de Oliveira Salazar!


Pois é, depois de muita controvérsia pelo facto de o seu nome ter sido incluído nesta lista e, recordando o post da Marta, pela polémica da construção do museu e do centro de estudos em Santa Comba Dão, os resultados são claros.

Salazar venceu os outros sete finalistas, com 41,1% dos votos. Curioso é também o facto de, imediatamente, a seguir ter ficado nada mais nada menos do que... Álvaro Cunhal!

Terá este resultado alguma relação com o tema levantado pelo Colaço no último post?
Corresponderá a figura de Salazar ao melhor português de sempre? Ou terá sido esta uma manifestação clara do descontentamento dos portugueses?
Aqui deixo a lista dos 5 melhores portugueses de sempre, ficando à espera da opinião dos psicóticos sobre este assunto.


1º António de Oliveira

2º Álvaro Cunhal

3º Aristides de Sousa Mendes

4º D. Afonso Henriques

5º Luís de Camões


uma psicose de Margarida Balseiro Lopes às 02:33
link directo | psicomentar | psicomentaram (28)

Domingo, 25 de Março de 2007
Democracia?

Diz o artigo 288.º da nossa Constituição que as leis de revisão constitucional terão de respeitar (entre outras 13 alíneas ordenadas de modo muito estranho) “a forma republicana de governo”.

Eu não sou monárquico, não me apetece ver um Rei a mandar nisto, não sou candidato a Rei (embora tenha a minha Rainha), mas pergunto aos Psicóticos e restantes amigos deste espaço:

- Mas então temos medo de quê? Que um dia o Povo acorde e queira algo de diferente? Que em vez da tão falada 4ª República, a malta lute por uma 2ª Monarquia?

Um regime democrata é aquele que não tem medo de se colocar em causa. Nós, aparentemente, não somos democratas…


uma psicose de Paulo Colaço às 03:29
link directo | psicomentar | psicomentaram (9)

Sábado, 24 de Março de 2007
Hora Espanhola ?

Decidi escrever sobre isto para me poderem, de certa forma, explicar o objectivo deste assunto.

Será que os empresários portugueses estão correctos quando querem que passamos a hora portuguesa para a hora espanhola para melhorar os contactos entre empresas?

Eu achei ridículo mas gostava de saber a vossa opinião e tentar ver se a minha opinião está ou não errada neste contexto.


uma psicose de Paulo Colaço às 15:30
link directo | psicomentar | psicomentaram (10)

Segunda-feira, 19 de Março de 2007
O desnorte do CDS


 

Um artigo de Sandra Pimentel

 

O mais concorrido Conselho Nacional (CN) dos últimos anos não acabou muito bem. Já era anunciado o despique depois de Portas avançar, sem apelo nem agravo, como candidato à liderança. Directas ou congresso extraordinário? Digamos que as duas partes jogaram na mesma moeda. Se acusam a ala de Portas de levar a CN uma questão que estaria fora das suas competências, Ribeiro e Castro também jogou os seus trunfos. E logo a raínha de copas, Mª José Nogueira Pinto foi um força de bloqueio às pretensões de Portas e Cª.
Foram muitos os caprichos de ambas as partes num dia que trará lembranças pelos piores motivos.
Para que conste, a votação foi ganha por Portas.


uma psicose de Paulo Colaço às 16:55
link directo | psicomentar | psicomentaram (28)

Será?


"Se Santana Lopes sair,

não leva ninguém com ele"

António Borges

19 de Março de 2007



uma psicose de Bruno Ribeiro às 14:44
link directo | psicomentar | psicomentaram (39)

Sexta-feira, 16 de Março de 2007
Museu ou Mausoléu?!


 

Um artigo de Marta Rocha

 

Santa Comba quer Museu Salazar.


 

Porquê?


 

Para colocar Santa Comba no mapa turístico: "Para o presidente da Câmara Municipal de Santa Comba Dão, João Lourenço, reavivar a memória do filho do feitor do Vimieiro poderá servir como "alavanca para o desenvolvimento turístico". Explica: "Não se pode apagar a história de Portugal e, por isso, queremos de uma forma séria, honesta e científica fazer o Centro de Estudos do Estado Novo e o Museu Salazar".


 

Há espólio?


 

"a autarquia procedeu à assinatura de documentação de doação de um terço dos bens imóveis da herança da família Salazar";


 

"Parte dos objectos pessoais do político do Estado Novo já está na posse da edilidade. Lá estão o estojo de barba, a mala de viagem e até a cama do Hospital da Cruz Vermelha em que faleceu a 27 de Julho de 1970. Condecorações, a sua colecção de selos, vários manuscritos, canetas e material de escritório, os binóculos, a máquina fotográfica são alguns dos objectos ainda encaixotados para mais tarde poderem figurar no museu. "


 

Como?


 

"São necessários quase cinco milhões de euros para pôr os dois projectos de pé."


 

Gostava de saber a posição dos psicóticos sobre este assunto.


uma psicose de Paulo Colaço às 02:40
link directo | psicomentar | psicomentaram (20)

Pidesco!


 

Um artigo de Marta Rocha
 
 
 
«Poder de Sócrates nas polícias preocupa». Quem o diz é Santos Cabral, demitido pelo Governo há quase um ano do cargo de director da PJ.
 


 

E Luís Marques Guedes diz mais:
 
 


 

"O líder parlamentar do PSD, Luís Marques Guedes, acusou ontem o Governo de colocar em causa a autonomia das autoridades judiciárias ao criar um Conselho Superior para a Investigação Criminal sob a alçada do primeiro-ministro. “A subordinação do procurador-geral da República a um conselho presidido pelo primeiro-ministro, somada à anunciada criação de um superpolícia, também na directa dependência do primeiro-ministro [...], são sinais preocupantes e reveladores de um modelo de concentração de poderes inaceitável”, afirmou. " in Correio da Manhã


 

 
Já nem o basilar Princípio da Separação de Poderes o Primeiro Ministro respeita. Esta bem que poderia ter sido uma medida de Salazar, mas ele era declaradamente fascista.


uma psicose de Paulo Colaço às 02:27
link directo | psicomentar | psicomentaram (9)

Quinta-feira, 15 de Março de 2007
Farmácias em Saldo

De acordo com o Estatuto do Medicamento publicado hoje em decreto-lei no Diário da República, as farmácias vão poder vender medicamentos a preço de saldo, sendo autorizados descontos que incidam na parte não comparticipada do preço. Este decreto possibilita o princípio da estabilidade do preço do medicamentos visando manter o preço constante durante um período de três anos.

O preço de venda ao público (PVP) dos novos medicamentos ou aqueles que são susceptíveis de serem actualizados não pode ser superior à “média que resultar da comparação com os preços nos estádios de produção ou importação (PVA) em vigor nos países de referência para o mesmo medicamento”. Relativamente aos genéricos, o PVP tem de ser inferior em 35% do PVP do medicamento de referência (igual dosagem e forma farmacêutica).

Os saldo também irão entrar nos medicamentos cujo preço for menor que 10€. Nestes medicamentos o preço terá de ser 20% mais baixo que o medicamento de referência correspondente.

Segundo dados do Instituto Nacional da Farmácia e do Medicamento (Infarmed) os medicamentos não sujeitos a receita médica (MNSRM) estão mais baratos 1,8% (valor de Fevereiro de 2007), desde que passaram a poder ser vendidos noutros locais que não farmácias. Existem actualmente 381 locais de venda registados que podem comercializar MNSRM, em que Lisboa é o Distrito que apresenta preços mais baixos, seguido de Portalegre, Castelo Branco, Viseu, Setúbal e Leira.

O Infarmed refere ainda que o preço dos medicamentos nestes locais estavam, em Janeiro, mais baratos 1% do que em 2006, tendo as descidas mais acentuadas sido verificadas nas regiões onde anteriormente o preço dos MNSRM era mais elevado (Beja, Évora e Guarda).

Esta medida saiu no mesmo dia em que é sabido que os preços em Portugal aumentaram 2,4% em Fevereiro face a igual mês do ano passado. Relativamente a Janeiro verificou-se um abrandamento de 0,2% no ritmo da inflação. Coincidência ou nem por isso?


Goreti Martins


uma psicose de PsicoConvidado às 18:36
link directo | psicomentar | psicomentaram (11)

Presidência portuguesa da UE


 

Um artigo de Sandra Pimentel
 
Amanhã, sexta-feira dia 16, às 16 horas, a ELSA - European Law Student’s Association - Faculdade de Direito de Lisboa vai promover uma conferência sobre a presidência portuguesa da União Europeia no auditório daquela faculdade.
Esta iniciativa terá como moderador o Professor Doutor Fausto de Quadros e vai contar com a presença de oradores dos vários quadrantes políticos, entre os quais, o nosso Magnífico Reitor, o deputado Carlos Coelho.
Com a presidência da UE cada vez mais perto, quais são as prioridades de José Sócrates nesta importante responsabilidade? E as expectativas dos portugueses? Como responderá Portugal a este desafio?
Tanto aqui na blogosfera, como amanhã na conferência, parece-me interessante debater este assunto.
Vamos a isso psicóticos!


uma psicose de Paulo Colaço às 12:55
link directo | psicomentar | psicomentaram (9)

Sábado, 10 de Março de 2007
"As casas de prostituição devem ser legalizadas."



Quem o diz é Pereira da Silva, advogado e autor do livro A Roda da Esquina que aborda este tema (entre outros) e cuja parte dos lucros de venda irá financiar um movimento a favor da legalização da prostituição.

Devo lembrar, para os não juristas entre nós, que o que é ilegal não é a prostituição, é o lenocínio. Assim, a actividade de se prostituir é perfeitamente legal, desde que os lucros vão para o prostituinte.

Devo ainda lembrar que, se existem diversas situações em que esta relação de exploração é feita mediante coacção, ameaças e violência, também existem casos de provada colaboração, em que pessoas se associaram com outras com o intuito de constituir uma sociedade de prestação de serviços onde, como em qualquer empresa, cada qual tem a sua tarefa.

Sublinho também que o direito a escolher uma profissão tem previsão constitucional, Artigo 58.º nº2 al. b), tal como o direito à iniciativa privada, Artigo 61.º nº1.

Tendo dito isto, creio que a legalização desta actividade só benficiaria.

Concordo com os argumentos que a legalização da prostituição permitia um controlo sanitário mais apertado da actividade, e permitia uma maior discrição e recato no exercício da profissão.


Isto levaria ao fim da prostituição de rua, por exemplo, e permitiria um maior controlo de diversos problemas de saúde pública bem conhecidos pela falta de condições e marginalização que a profissão sofre.

Será, afinal, esta profissão tão diferente que mereça ser assim tratada pelo legislador?


uma psicose de José Pedro Salgado às 22:08
link directo | psicomentar | psicomentaram (22)

1000 COMENTÁRIOS!!!

Sim, chegámos aos 1000 comentários!
Fruto de bons artigos e de opiniões divergentes.
Fruto de gente com ideias muito próprias e coragem q.b. para dar a cara por elas!
Para ilustrar este post, escolhi a imagem dos dois bancos onde alguns dos psicóticos se sentaram a discutir a proposta de Regulamento do I PsicoCongresso, realizado há dias na Marinha Grande!


uma psicose de Paulo Colaço às 00:53
link directo | psicomentar | psicomentaram (24)

Quarta-feira, 7 de Março de 2007
A Montanhã pariu um rato…



Um artigo de Inês Aguiar Branco


“Fica tudo na mesma, só se muda a nomenclatura. É apenas uma questão politica”
Quem proferiu estas esclarecedoras afirmações foi o dirigente sindical, Nobre dos Santos, a propósito do documento do governo sobre o sistema de vínculos na função pública.
Pois é, o senhor ministro das Finanças, Teixeira dos Santos, veio ontem confirmar o que já era de esperar, mais um recuo monumental deste governo. A reforma da Administração Pública, apregoada como a reforma das reformas de tão ambiciosa, deixa afinal tudo na mesma.
É pena, pois assim se perde mais uma vez a oportunidade de levar a cabo uma reforma muito necessária para o país apenas por falta de coragem política par ir ao fundo das questões.

O tipo de atitude a que este governo nos tem habituado, mais do que uma fraude politica é acima de tudo um insulto à nossa inteligência.
Sob uma capa reformista, propagandeiam-se até à exaustão as reformas que se pretendem levar a cabo, tidas como essenciais pela maioria dos cidadãos, passando para a opinião pública a ideia de que muito se vai fazer e mudar e, posteriormente, com completo despudor, apresentam-se afinal pequenas operações de cosmética que no essencial deixam ficar tudo como estava.

Sou daquelas que continuam a entender que este comportamento terá, a prazo, um custo elevado pois o povo português não dorme… Só é preciso saber esperar e que cada um de nós denuncie sem medo as trapaças diárias do governo fazendo delas o maior eco possível já que a comunicação social continua” in love” com Sócrates e os seus ajudantes.
São tantos os ratos que a montanha tem parido que no final isto só pode acabar com uma monumental desratização…



uma psicose de Paulo Colaço às 16:56
link directo | psicomentar | psicomentaram (2)

Já o tempo se habitua...

Depois da posta recordista da Margot e de uma discussão mais técnica promovida pelo Bruno, eis que surge (já não era sem tempo) um tiro ao lado!

Navegando pelo site do Público, vi que a compilação “José Afonso” chega ao primeiro lugar da tabela nacional de álbuns, com mais de dez mil unidades vendidas.

Fico contente porque gosto do Zeca Afonso músico, e tenho muito muito orgulho no Zeca Afonso, homem de coragem e convicção.

Mas o artigo do Público levou-me a conhecer a tabela dos álbuns mais vendidos na semana passada (dados da Associação Fonográfica Portuguesa).

Digo com assombro (há psicóticos que me vão chacinar, creio) que destes 10 álbuns, eu só compraria 3, não ficaria muito ofendido se me oferecessem 2, e teria muito prazer em ver arder os restantes…

1. José Afonso, José Afonso
2. A Vida Que Eu Escolhi, Tony Carreira
3. The Confessions Tour, Madonna
4. Loose, Nelly Furtado
5. Acústico, André Sardet
6. 4 Taste, 4 Taste
7. Siempre, Il Divo
8. Os Pintainhos, Os Pintainhos
9. Not Too Late, Norah Jones
10. Mickael, Mickael Carreira

Nota: não é muito difícil, mas tentem adivinhar quais são os 3 álbuns deste rol que eu compraria…


uma psicose de Paulo Colaço às 11:35
link directo | psicomentar | psicomentaram (15)

Sábado, 3 de Março de 2007
Adeus PT
Acabou! A maior OPA (Oferta Pública de Aquisição) de sempre do mercado bolsista nacional ficou ontem pelo caminho depois de a Assembleia Geral de Accionistas da Portugal Telecom (PT) ter votado maioritariamente contra a desblindagem dos estatutos, condição sine qua non para o sucesso da operação lançada pela Sonaecom de Belmiro e Paulo de Azevedo.

Não considerando as abstenções (sentido de voto do accionista Estado, por exemplo), chegou-se a um resultado de 51,5% do capital representado na AG votando contra a desblindagem, enquanto que 48,5% se mostraram favoráveis. Foi uma situação que dividiu os accionistas, como se previa. Talvez por isso, Belmiro de Azevedo tenha dito que "Não há derrotas definitivas" e que tem "planos alternativos todos os dias". Já Henrique Granadeiro, actual Presidente do Conselho de Administração(CA) da PT, defendeu que esta situação permite à actual Administração trabalhar para conseguir uma estrutura accionista mais estável.
E o que pensa disto a Assembleia do Psicolaranja?


uma psicose de Bruno Ribeiro às 18:27
link directo | psicomentar | psicomentaram (18)

Quinta-feira, 1 de Março de 2007
Igualdade de direitos?!
A JS prepara-se para reapresentar o seu projecto de lei para que o casamento entre homossexuais seja legalizado em Portugal, ficando de fora a questão da adopção.

Em declarações ao JN, Pedro Santos, líder desta estrutura, "a interrupção voluntária da gravidez e o casamento entre pessoas do mesmo sexo são temas diferentes. O único ponto em comum é a resistência de uma parte mais conservadora da sociedade, mas achamos que Portugal tem de avançar nestas matérias".

Ora, a alterar a lei, seria retirada do Código Civil a menção ao casamento entre pessoas do “mesmo sexo”.

O PS, pela voz de Pedro Silva Pereira, veio já rejeitar esta proposta alegando que não fez parte do programa eleitoral do PS, pelo que “a JS poderá defender o diploma, entregá-lo no Parlamento, mas só será agendado e tem futuro, se o PS quiser”.

Eu sou favorável a esta alteração, uma vez que, defendo que se trata duma questão de igualdade perante a lei, no respeito pelas orientações sexuais dos cidadãos portugueses.
Gostava de saber a opinião dos psicóticos e dos visitantes do Psico sobre esta questão e que posição deveria ter a JSD sobre esta matéria.


uma psicose de Margarida Balseiro Lopes às 21:50
link directo | psicomentar | psicomentaram (48)

Notícias
Psico-Social

Psico-Destaques
Psicóticos
Arquivo

Leituras
tags
Subscrever feeds
Disclaimer
1- As declarações aqui pres-tadas são da exclusiva respon-sabilidade do respectivo autor.
2 - O Psicolaranja não se responsabiliza pelas declarações de terceiros produzidas neste espaço de debate.
3 - Quaisquer declarações produzidas que constituam ou possam constituir crime de qualquer natureza ou que, por qualquer motivo, possam ser consideradas ofensivas ao bom nome ou integridade de alguém pertencente ou não a este Blog são da exclusiva responsabilida-de de quem as produz, reser-vando-se o Conselho Editorial do Psicolaranja o direito de eliminar o comentário no caso de tais declarações se traduzirem por si só ou por indiciação, na prática de um ilícito criminal ou de outra natureza.