Sábado, 29 de Setembro de 2012
Se ao menos Portugal tivesse TGV...

 

Há dois anos atrás era isto o que os Telejornais reportavam:

 

A nossa querida esquerda avisava com condescendência que só a direita Portuguesa - quais pobres coitados em estado de negação - era retrógrada ao ponto de querer permanecer periférica:
A verdade tem vindo a transbordar desde há umas semanas e meses:
Mas sabem que mais, deixemos estas sumas inteligências governarem o país de novo; pode ser que tenham sorte desta vez...


uma psicose de Miguel Nunes Silva às 17:52
link directo | psicomentar

10 comentários:
De Guillaume Tell a 29 de Setembro de 2012 às 22:26
Sinceramente eu acho que é melhor aquelas inteligências governarem. Teria o mérito de acordar outras.

|

De Miguel Nunes Silva a 29 de Setembro de 2012 às 22:36
Andas demasiado entrópico para o meu gosto...

|

De Guillaume Tell a 29 de Setembro de 2012 às 22:55
Pego isso como um elogio, é uma maneira de dizer que sou independente de espírito.


De Bruno Duarte a 30 de Setembro de 2012 às 11:59
Nunca antes de 2015! Já chega de eleições antecipadas!


De k. a 1 de Outubro de 2012 às 09:38
Quantas linhas acordou o Durão barroso, construir, novamente?

Ahh espera, esse é outro da "esquerdalha" (ele e a manela, claro está).

Peço desculpa pela minha ignorancia :]

|

De Miguel Nunes Silva a 5 de Outubro de 2012 às 10:51
1 - Nunca defendi o governo de Durão Barroso nem as suas políticas mas o que é mais ridiculo é por um lado tu criticares 1 governo de 2 anos que não teve tempo para fazer fosse o que fosse e ainda por cima na tua SUPREMA HIPOCRISIA criticares o projecto do TGV quando não só o PSD se bateu durante todo o governo Sócrates contra ele, mas ainda por cima criticares MFL, que foi a figura de proa contra ele.

Ora, se tu achas mal que Barroso o tenha feito, ENTÃO QUE DIZER DO SÓCRATES E DO PS QUE AINDA HOJE O DEFENDEM seu hipócrita sem vergonha?

|

De ogrilofalante a 1 de Outubro de 2012 às 18:27
Caro postador, leia este diário da república e diga da sua justiça o que a esquerdalha daquela altura queria sobre o TGV.
Não venha com as desculpas de lana caprina. Naquela altura, o "capataz do seu partido e da herdade nacional", dizia: o país estava de tanga. Para quem estava de tanga, tomar tal decisão era de uma grande IRRESPONSABILIDADE. Deveria estar preso como outros governantes que dirigiram este país.

http://dre.pt/pdf1s/2004/06/149B00/39293930.pdf

|

De Miguel Nunes Silva a 5 de Outubro de 2012 às 10:57
Sim. Não o nego nem nunca neguei.

Mas quem adjudicou o projecto no meio de uma crise financeiro nacional e internacional, e com o protesto de toda a direita foi Sócrates.

Como é que isso não é infinitamente pior?

Mas será que te dás conta de que estás a pôr o PS numa posição MUITÍSSIMO pior da do PSD?

| |

De ogrilofalante a 6 de Outubro de 2012 às 08:06
Voce deu uma carga de porrada num indivíduo. Ele ficou cheio de hematomas mas só ficou com um braço partido...

|

De Miguel Nunes Silva a 5 de Outubro de 2012 às 11:01
Expliquem-me por favor porque é que a miserável esquerda acha que ganha pontos ao confrontar a direita com os 2 anos de governo Barroso?...

Se Barroso cometeu os mesmos erros que Guterres e Sócrates então isso não faz a esquerda 6 vezes pior que a direita (ano por ano)?...

Mas será que esta gente tem a noção do absurdo a que se sujeita?


Comentar post

Notícias
Psico-Social

Psico-Destaques
Psicóticos
Arquivo

Leituras
tags
Subscrever feeds
Disclaimer
1- As declarações aqui pres-tadas são da exclusiva respon-sabilidade do respectivo autor.
2 - O Psicolaranja não se responsabiliza pelas declarações de terceiros produzidas neste espaço de debate.
3 - Quaisquer declarações produzidas que constituam ou possam constituir crime de qualquer natureza ou que, por qualquer motivo, possam ser consideradas ofensivas ao bom nome ou integridade de alguém pertencente ou não a este Blog são da exclusiva responsabilida-de de quem as produz, reser-vando-se o Conselho Editorial do Psicolaranja o direito de eliminar o comentário no caso de tais declarações se traduzirem por si só ou por indiciação, na prática de um ilícito criminal ou de outra natureza.